Vigilância Sanitária aplica 81 multas e interdita 44 estabelecimentos

A Vigilância Sanitária de Rio Preto autuou 783 estabelecimentos comerciais, desse total, 101 já tiveram o processo finalizado e resultaram em 81 multas para os estabelecimentos e 20 advertências, por descumprindo alguma das medidas estabelecidas para evitar a proliferação do novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, o órgão deu ordem de fechamento a 63 estabelecimentos, sendo que 44 ocorreram após a publicação do decreto 18.636, que proíbe o funcionamento dos supermercados aos sábados e domingos e restringe a venda de bebidas alcoólicas, proibindo a comercialização de segunda-feira a sexta-feira, das 20h às 6h, e aos sábados e domingos durante todo o dia. Até o momento foram 783 autuações, sendo 177 desde a publicação do decreto.

Dhoje Interior

Entre os comércios fiscalizados estão bares, serv-festas, lojas de conveniências, lan houses e academias. Uma faculdade também foi multada por realizar aulas presenciais.

Os comércios interditados só poderão voltar a funcionar após o fim da quarentena. Isso porque, de acordo com a prefeitura, as interdições são em sua maioria por aglomeração. Houve o registro de reincidência e os estabelecimentos foram interditados.

O valor arrecadado com as multas não foi divulgado. A assessoria de imprensa informou que cada multa recebeu um “valor diferente, variando de 11 UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo) a 400 UFESP , de acordo com do porte da empresa, quantidade de irregularidades e reincidência”, diz a nota. Cada UFESP equivale R$ 27,61.

De acordo com a Prefeitura, esses números se referem às fiscalizações feitas entre os dias 24 de março e o última terça-feira (18). São realizadas aproximadamente 1.200 fiscalizações por semana, por 70 fiscais.

Ao todo, foram registradas denúncias, por meio do telefone da Guarda Civil Municipal (GCM), o 153. As informações são repassadas à Vigilância Sanitária, que realiza as fiscalizações, juntamente com agentes de outros órgãos da Prefeitura e conta com apoio de equipes da GCM.

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior