Terceirizada da prefeitura deixa funcionários sem salários e provoca protesto

Grupo de trabalhadores terceirizados fazem protesto em frente a prefeitura_foto_SETH

Um grupo de trabalhadores terceirizados que eram ligados à empresa Prime que prestava serviços a Prefeitura de Rio Preto fez um protesto na manhã desta quarta-feira (14). Eles cobram um posicionamento da administração municipal por conta de estarem com os salários e outros benefícios do mês de março em atraso.

Segundo Ana Laura, ex-funcionária da Prime que participou do manifesto, a maioria dos trabalhadores está há dois anos na empresa – que atrasava de forma constante o pagamento da cesta básica e neste período não pagou as férias dos funcionários, além da rescisão de contrato que não foi feita com nenhum funcionário.

Dhoje Interior

São cerca de 130 funcionários que atuam nesta terceirizada a maioria deles na linha de frente em diversos setores da administração municipal. Ana ainda salienta que a empresa não deu baixa nas Carteiras de Trabalho.

Um grupo de trabalhadores foi recebido na prefeitura onde foi passado que a administração está aguardando que a empresa encaminhe a nota fiscal do último mês de prestação de serviço para poder efetuar a liberação das verbas.

Segundo Sergio Paranhos, presidente do SETH (Sindicato dos Empregados em Turismo e Hospitalidade) entidade que representa os trabalhadores terceirizados, o valor que a empresa tem que pagar para a rescisão dos trabalhadores é bem superior ao que a mesma tem que receber da prefeitura – com isso a liberação do valor da prefeitura amenizaria – mas faltaria uma parte para ser cobrada – o valor aproximado das rescisões vira em torno de R$ 700 mil e a informação que eles têm é que a prefeitura teria ainda a pagar cerca de pouco mais de R$ 300 mil a empresa.

“Estamos buscando uma possibilidade jurídica para que a prefeitura faça um deposito judicial na conta dos trabalhadores – para garantir parte dos salários”, salientou Paranhos.

Ele salienta que o jurídico do sindicato esta sendo colocado à disposição dos trabalhadores para se for necessário ingressarem com ações contra a empresa.

Prefeitura – Em nota a prefeitura de Rio Preto informa que “até o momento não recebeu da empresa Prime qualquer documento ou nota fiscal para pagamento dos serviços prestados junto ao Poder Público. Os valores estão retidos, aguardando o envio da relação dos recolhimentos como salário, FGTS e aviso prévio que deverão ser pagos a cada colaborador. Assim que a documentação for enviada, o pagamento será liberado diretamente na conta dos prestadores de serviço”, finaliza a nota.

Empresa – A reportagem tentou contato com  os telefones disponíveis da assessoria jurídica da empresa e com o supervisor da Prime – o contato da jurídico informou que não presta serviços para a empresa desde meados do ano passado – e a supervisor não responder ao contato até o fechamento da matéria.

Por Sérgio SAMPAIO – Da Redação DHoje Interior