Sobe para 16 o número de casos de sarampo

Vacinação no Estado começou no último dia 12 e Rio Preto já imunizou 50% do público-alvo, segundo a Secretaria Municipal de Saúde

A Secretaria de Saúde de Rio Preto confirmou mais três casos de sarampo nesta sexta-feira, dia 23. Ao todo, a cidade já tem 16 registros da doença neste ano. Não ocorriam casos de sarampo em Rio Preto desde 1999, quando foi registrado o último.

De acordo com a Pasta, os pacientes são duas crianças, de 1 ano, que já tinham sido vacinadas com uma dose, e um adolescente, com duas doses da vacina. Um bloqueio vacinal e ações de controle foram realizados em áreas próximas aos bairros onde os pacientes moram.

Dhoje Interior

No mês que vem, a Secretaria vai realizar um seminário com o objetivo de capacitar os profissionais para o diagnóstico precoce e tomada de medidas de controle de surtos.

O Ministério da Saúde orientou todos os municípios a realizarem a vacinação das crianças de seis meses a menores de 1 ano. Essa medida tenta evitar novos contágios e uma possível epidemia. A expectativa é que 1,4 milhão de crianças recebam a dose extra, chamada de ‘dose zero’, além das previstas no Calendário Nacional de Vacinação, aos 12 e 15 meses.

Desde o dia 12 de agosto, o Estado de São Paulo vem vacinando bebês nessa faixa que residem ou têm viagens programadas para cidades com casos confirmados de sarampo.

Até o dia 20, 74 municípios paulistas estavam nessa relação. Em duas semanas, aproximadamente 24 mil crianças com idade entre seis meses e menores de 1 ano foram imunizadas. Em todo Estado, estima-se que haja 306 mil bebês nesta faixa etária.

Jovens até 29 anos também devem ter pelo menos duas doses de vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter pelo menos uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois o público dessa idade pode ter contato com o vírus no passado. Neste ano, 1.797 casos de sarampo foram confirmados no Estado de São Paulo. Do total, 73% se concentram na capital paulista, com 1.314 registros.

Por Vinicius LOPES