Situação dos aprovados no concurso da Educação é alvo de debate na Câmara

Diversos vereadores aproveitaram a sessão desta terça-feira (28) para falar sobre a situação dos 149 aprovados do concurso público da Educação na qual os educadores que iriam tomar posse no dia 23 de março tiveram a posse suspensa por conta da interrupção das aulas da rede municipal em decorrência da pandemia do coronavírus (Covid-19).

O primeiro a falar sobre o tema foi vereador Marco Rillo (Psol) que estava participando remotamente por conta de fazer parte do grupo de risco a ser contaminado pelo Covid-19.

Dhoje Interior

Ele afirmou que foi procurado por muitos dos aprovados que tiveram que pedir demissão dos seus empregos para assumir os cargos. O vereador afirmou que encaminhou um oficio para a prefeitura para que seja tomada uma atitude o mais rápido possível.

Já o presidente da Câmara, Paulo Pauléra (Progressistas), disse que este tema dos professores foi amplamente debatido na reunião com o prefeito e alguns secretários na última segunda-feira (27). Segundo Pauléra, a ele e aos demais vereadores, o secretário de Administração, Luiz Roberto Thiese, informou que existem proibições e restrições do aumento de gastos com pessoal em ano eleitoral por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Por sua vez, o vereador Pedro Roberto (Patriota) salientou que mesmo que a administração quisesse não poderia convocar os aprovados agora, pois não está tendo aulas. Mas ele acredita que mesmo com as proibições impostas pelo ano eleitoral no retorno das aulas a administração poderá convocar e contratar os educadores que estão angustiados.

Em nota, a Secretaria de Educação ressaltou que “aguarda o retorno às aulas para definir com a Secretaria da Administração a posse dos aprovados no concurso”.

Sessão – na 11ª sessão ordinária dos sete projetos que estavam na pauta de votação seis foram aprovados por sua legalidade e um teve o pedido de vista por cinco sessões.

Por Sergio Sampaio