Seu pet pode estar precisando de ‘vitamina S’

Racing é uma pitbull dócil que pratica atividades físicas ao ar livre com toda a família

Especialista explica como a exposição aos elementos da natureza e dos ambientes em geral pode fortalecer a saúde do seu pet

Deixar seu pet se sujar e aproveitar livremente todos os elementos da natureza pode ser mais benéfico do que parece. A vitamina S refere-se a milhares de micro-organismos que habitam nosso planeta, que não são causadores de doenças e que podem auxiliar o organismo, quando se trata de sistema imunológico. Eles fazem parte da natureza e, portanto, podem representar benefícios.

Segundo a zootecnista mestre em estudo animal e especialista em nutrição, Natália Cesaretto, a popular “vitamina S” não é considerada uma vitamina em si (nutriente essencial para o funcionamento adequado do nosso organismo, obtida por meio de uma dieta balanceada e saudável).

“A ‘vitamina S’ é somente um apelido carinhoso, adquirida não por dietas, mas pelo convívio e contato dos animais com o ambiente, estando relacionada diretamente ao sistema imunológico deles”, conta.

A profissional diz que diversos estudos apontam que estar em contato com micro-organismos fortalece o sistema imunológico e protege contra alergias e outras doenças no futuro. Afinal, o organismo se adapta, aprende a se regular sozinho e fica fortalecido, produzindo anticorpos.

Para Natália, é fundamental lembrar que, para os filhotes, antes da exposição à ‘vitamina S’ é importante que as vacinas sejam priorizadas. “Vacinas salvam vidas e manter o calendário vacinal em dia é indispensável à saúde”, adverte.

A zootecnista ainda afirma que, ao longo dos primeiros anos de vida do animal, o sistema imunológico se fortalece, de modo que o contato ponderado com estes micro-organismos presentes no ambiente orienta o sistema imunológico a amadurecer de forma saudável.

“Os três e quatro primeiros meses de vida são os mais críticos, pois é o período em que os pets estão no início do desenvolvimento do sistema imunológico. Depois disso, a diversão está liberada, com bom senso, é claro”.

Natália reitera que animal com sistema imunológico fortalecido tem chances menores de contrair patologias e quando adoecem se recuperam rápido. “Não é só o contato com os micro-organismos ao ar livre que fortalece o sistema imunológico do animal. O ato de passear com o tutor, de estar ao ar livre, brincar, se divertir, os deixam felizes também, favorecendo a imunidade, a saúde e a qualidade de vida. Pet que passeia, que brinca, que está em contato com a natureza é pet feliz e saudável; não só fisicamente, mas emocionalmente. Animais presos, em casas, apartamentos, pequenos espaços, podem desenvolver transtornos”, finaliza.

Entenda a nomenclatura

A zootecnista Natália Cesaretto explica que na nomenclatura química o S é o Enxofre, muito utilizado em cães com problemas dermatológicos. “Ele é um composto importante na manutenção da saúde dos pelos, da pele e articulações dos cachorros. Ele trabalha junto com as vitaminas do complexo B na regulagem do metabolismo do animal. O enxofre também faz parte dos aminoácidos, importantes para a restauração de machucados na pele do animal”, informa.

De acordo com a profissional, os tratamentos para cães utilizando enxofre são encontrados nas formas de xampu, creme e spray. A quantidade de enxofre e tipo de tratamento utilizado dependerá do tipo de enfermidade na pele, além do tamanho e peso do pet. O seu uso sempre deve ser orientado por médicos veterinários.

Fabrício de Souza Lima, dono da pitbull Racing, diz que a fêmea pratica atividade física de segunda a sexta-feira ao ar livre junto com a família toda. “Um dia ela corre, no outro dia ela nada, além disso, caminhamos e andamos de bike com ela sempre nos horários mais frescos do dia”, conta.

Souza salienta que Racing é muito dócil e parceira de sua filha de dois anos. “Elas cresceram juntas e nas atividades permanecem juntas. Com certeza, o contato com a natureza, brincadeiras na água, na terra e diversão, influenciam diretamente na saúde, não só da pet, mas de nossa filha também”, garante.

Para o tutor, a orientação de um bom profissional é indispensável.

 

Daniela MANZANI