Saúde prevê aumento de internações nos próximos 15 dias

A Secretaria de Saúde de Rio Preto atualizou os dados de Covid-19 no município nesta quarta-feira (16). Com 93% de ocupação dos leitos de UTI na cidade e de 88,9% na região, o secretário Aldenis Borim afirmou durante a live que há uma tendência de aumento nas internações na próxima quinzena.

“Os próximos 15 dias serão dias muitos difíceis para a população e para a Secretaria, independente da atitude que venha a ser tomada, pois a atitude que estamos tomando hoje (lockdown noturno) só será refletida daqui 20 dias. Durante esse período pegaremos pacientes que estão no pico”, afirmou

Dhoje Interior

Rio Preto conta com 973 pacientes internados com síndrome respiratória aguda grave (SRAG), sendo 476 na UTI e 497 na enfermaria, sendo 541 residentes de Rio Preto e 432 de outras cidades da região. Dentre os casos já confirmados com Covid-19 são 729 internações, com 410 na UTI e 319 na enfermaria.

Borim também citou que a cidade teve um aumento de 13% de internações de pessoas com menos de 49 anos em relação à segunda onda. “As pessoas mais jovens estão ocupando mais leitos. Fizemos uma análise recente em que nós tivemos 324 casos internados que permaneceram acima de 15 dias e 109 acima de 30 dias, ou seja, os leitos não rodam. O paciente entra e vai ficar 30 dias internados. Essa falta de leitos nos preocupa”, comentou.

Nesta quarta-feira (16), a cidade confirmou 577 casos de Covid-19, totalizando 81.960 casos. Também foram registrados mais 10 óbitos pela doença, chegando a 2.332 mortes desde o início da pandemia. O número de curados é de 70.856.

O secretário de saúde justificou a implantação do lockdown com base no aumento de atendimentos de casos suspeitos de Covid-19. “Nós estamos com uma média móvel de 1.263 notificações de casos suspeitos de Covid-19 por dia, um aumento de 17% em relação ao pico da segunda onda, ou seja, hoje a situação de atendimento é pior do que foi no ápice da segunda onda, por isso nós tínhamos que fazer alguma coisa. Não poderíamos ser omissos nesse momento”, afirmou Borim.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior