SAÚDE ODONTO – Prótese dentária flexível. Harmonia estética para indivíduos com múltiplas perdas dentárias

Quando o assunto é harmonia e beleza do sorriso, pacientes com várias perdas dentárias, e que ainda dependem de pontes móveis e dentaduras para recompor estética e função mastigatória, vêem na questão muitos motivos para sentirem-se frustrados – principalmente quando o tratamento com implantes dentários é financeiramente proibitivo. Entretanto, a técnica com prótese dentária flexível (termoplástica) pode ser a solução ideal para esses pacientes.

A prótese dentária flexível é uma ideia antiga como alternativa à prótese dentaria removível com grampos metálicos. Além de eliminar o metal que fica evidente ao falar e sorrir, o dispositivo flexível recompõem os dentes faltantes com cores mais naturais – o dispositivo protético é praticamente imperceptível. Até aqui, tudo o que você está precisando para melhorar o visual do seu sorriso.

Dhoje Interior

O problema é que nem tudo é ponto positivo no tratamento com prótese dentária flexível. Além da maior dificuldade para adaptação inicial ao dispositivo, desconfortos durante a mastigação para indivíduos como muitas perdas dentárias e fraturas no material podem ser contratempos frequentes no uso da prótese dentária flexível. E entender como prevenir e solucionar esses problemas é essencial para o sucesso do tratamento

As vantagens da prótese dentária flexível importam quando estética é o foco do tratamento.

As vantagens da técnica com prótese dentária flexível são evidentes quando comparadas ao tratamento tradicional ponte móvel (prótese parcial removível). E é fácil notar como as propriedades estéticas destes dispositivos trazem mais segurança e auto-estima para indivíduos com múltiplas perdas dentárias. Veja abaixo algumas dessa vantagens.

  • grampos estéticos confeccionados na cor dos dentes ou gengivas

A grande vantagem da prótese dentária flexível frente a ponte removível em metal é o grampo estético confeccionado na cor do dente ou gengiva. O ganho estético é consideravelmente alto. Na grande maioria das vezes, o dispositivo móvel flexível passa imperceptível mesmo para pessoas muito próximas aos portadores desse tipo de prótese.

• gengiva artificial mais harmônica

A ausência de metal na estrutura da ponte móvel flexível também ajuda na construção da gengiva artificial, diminuindo o acinzentamento que pode estar presente na tentativa de reconstruir estética e funcionalmente a gengiva e osso perdidos nas reabsorções ósseas que ocorrem após a perda (extração) de dentes.

Dentes com cores mais na turais

A completa ausência de metal na estrutura interna da prótese dentária flexível permite que os dentes acrílicos característicos da técnica tipo ponte móvel seja o mais próximo possível da cor em dentes naturais, ao contrário do que acontece nos dispositivos protéticos com metal, que tendem ao acinzentamento dos dentes.

• compatível com fase de cicatrização em tratamentos com implantes dentários

O uso da prótese dentária flexível como dispositivo provisório nos tratamentos com implantes dentários trouxe mais conforto estético e funcional na condução de pacientes submetidos ao procedimento ósseointegrador com implantes. A utilização da prótese flexível, nestas situações, é altamente aconselhável.

 

Os problemas que flexibilidade traz no tratamento com próteses dentárias.

A flexibilidade pode estar associada, para muitos indivíduos, a mais conforto e compatibilidade com os tecidos orais moles da cavidade oral. E isso faz todo o sentido, já que a maciez implica menos trauma e agressão à gengiva e mucosa orais. Entretanto, não é o que acontece a longo prazo no tratamento com prótese dentária flexível que substitui a técnica com ponte móvel.

A adaptação à prótese dentária removível, seja ela flexível ou na técnica tradicional com grampos metálicos ou dentaduras, é a etapa mais complicada do tratamento. E a flexibilidade e maciez das partes em contato com tecidos moles e dentes traz mais conforto nos primeiros dias imediatos após a instalação desses dispositivos. Entretanto, o problema se dá nos dias seguintes: o tempo para adaptação é sensivelmente maior comparada à técnica dura e rígida.

E o problema de adaptação a longo prazo à prótese dentária flexível pode ser ainda mais complicado do que o tempo mais prolongado de aceitação ao dispositivo. Alguns indivíduos nem mesmo se acostumam com esses dispositivos protéticos passados muitos meses da instalação da prótese –  e mesmo que todos os procedimentos para planejamento e execução sejam executados à risca. É quase uma loteria descobrir quem vai ou não se adaptar à prótese dentária flexível.

• dificuldade para adaptação a longo prazo

A adaptação efetiva para alguns indivíduos pode não acontecer a longo prazo, contrariando a maior facilidade para adaptação das próteses flexíveis nos primeiros dias de uso do dispositivo protético. E o problema pode ocorrer mesmo em casos minuciosamente selecionados para uso com prótese dentária flexível.

  • menor eficiência mastigatória

A prótese flexível apresenta menor eficiência mastigatória, cujo ineficácia funcional aumenta com o maior número de dentes perdidos. E a causa para o problema está na flexibilidade do material e na menor eficiência retentiva dos grampos flexíveis comparados aos grampos metálicos.

• trauma crônico na mucosa e gengiva de suporte

Próteses flexíveis instaladas em arcadas com extensas perdas dentárias traumatizam tanto mucosa quanto gengiva de suporte. Um risco elevado para o aparecimento do câncer bucal, doença neoplásica cuja incidência está associada ao trauma dos tecidos moles da cavidade oral.

  • excesso de volume da estrutura

A prótese parcial removível convencional, que é confeccionada com ligas metálicas, apesar da sua limitação estética, traz uma grande e importante vantagem frente à prótese flexível: é mais fina, menos extensa e mais delicada. O volume maior do dispositivo protético flexível traz maior dificuldade à fonação para alguns indivíduos.

  • impossibilidade de uso na arcada inferior

A prótese dentária flexível não é indicada para uso na arcada inferior (mandíbula) devido às limitações anatômicas no local para a distribuição das forças de suporte do dispositivo protético. O sucesso de adaptação, a longo prazo, da prótese dentária flexível em mandíbulas é quase nulo.

Indicação correta, o segredo para o sucesso no tratamento com próteses dentárias flexíveis.

Se adaptação a longo prazo da prótese dentária flexível pode ser impossível para alguns indivíduos, o que pode ser feito para diminuir a incidência do problema? Selecionar com atenção os casos que possuem históricos de sucesso no tratamento com dispositivos flexíveis.

Não existe uma regra fixa para a indicação da prótese dentária flexível, mas algumas situações favorecem a adaptação ao dispositivo. Entre elas estão indivíduos com poucas ausências dentárias, laterais, e cujos espaços desdentados situam-se entre dentes naturais.

A presença dos caninos naturais parece facilitar a adaptação, a longo prazo, ao dispositivo flexível. Por outro lado, múltiplas ausências dentária adjacentes (3 ou mais dentes perdidos em um mesmo segmento) dificultam o uso das próteses flexíveis. Outra situação complicada para adaptação é a ausência dos 6 dentes anterior e que, infelizmente, seriam os casos mais apropriados às próteses flexíveis.

O uso de pequenas próteses flexíveis termoplástica durante o período de osseointegração no tratamento com implantes dentários é uma indicação muito bem vinda à técnica. Podendo ser utilizada até mesmo na técnica unilateral, resolvem os problemas estéticos provisórios até que o tratamento definitivo com próteses dentárias fixas sobre implantes esteja finalizado.

Tratamentos alternativos às próteses flexíveis trazem mais conforto e ainda mais estética.

A prótese dentária flexível tem na indicação provisória para tratamentos com implantes dentários sua melhor performance. E, na verdade, essa pode ser a única indicação viável para o dispositivo flexível.

Existem alternativas mais eficazes, estética e funcionalmente (mastigação), ao tratamento com prótese dentária flexível, fazendo desta apenas uma proposta viável quando o preço dos tratamentos alternativos são financeiramente proibitivos.

  • prótese dentária fixa sobre dentes naturais

Embora tradicional, o desenvolvimento de estruturas sem metal e ultra estéticas trouxeram as próteses dentárias fixas com porcelana como alternativa segura e eficaz mesmo para situações com grande exigência estética.

  • prótese dentária fixa sobre implantes

O tratamento com próteses dentárias sobre implante dentário ósseointegrado é a técnica mais otimizada para repor dentes perdidos. Embora a reconstituição da perda óssea exija cirurgias mais complexas com enxertos ósseos, os resultados são efetivos e duráveis.

  • enxerto ósseo

As falhas estéticas causadas por perdas ósseas extensas, pós extração dentária, podem ser recuperadas com enxertos ósseos, recompondo parcial ou toralmente as façhas estéticas em região anterior ou posterior.

Dicas essenciais de uso da prótese dentária flexível.

Compreender os detalhes técnicos das indicações e uso para as próteses dentárias flexíveis pode ser complicado até mesmo para dentistas experimentados no assunto. Mas conhecer algumas informações básicas sobre o problema pode evitar a frustração pela dificuldade de adaptação ao dispositivo.

  • evite o tratamento em arcadas com muitos dentes faltantes (máximo 5 dentes);
  • o último dente, em cada lado da arcada, deve ser um dente natural;• não faça o  tratamento na arcada inferior (mandíbula);
  • evite o uso em arcadas com ausências dentárias na região anterior superior a 4 dentes;
  • descanso noturno diário do uso do dispositivo;
  • Dra. Fernanda F. Lupino e Dra. Ana Cristina R. Matos