Saudade: 25 anos da morte do grupo Mamonas Assassinas

Foto Divulgação

Era 02 de março de 1996. Há 25 anos, o Brasil chorava com a morte dos integrantes da banda Mamonas Assassinas. O grupo foi um dos maiores fenômenos da história da música brasileira e a queda do avião que matou todos os músicos chocou a nação e mobilizou os profissionais de TV e uma legião de fãs.

Dinho, Sérgio Reoli, Samuel Reoli, Bento Hinoto e Júlio Rasec faleceram após a queda de um avião de pequeno porte na Serra da Cantareira, em São Paulo. Um dos integrantes do grupo chegou a ter uma premonição do acidente. Em uma conversa com um amigo, Júlio Rasec teria previsto a queda do avião que levava o grupo em 1996. A reportagem foi exibida no Jornal Nacional na TV Globo, mostrando como o músico chegou a se despedir antes do ocorrido.

Dhoje Interior

Nas imagens, ele falou sobre um show em Portugal, que seria realizado caso a queda da aeronave não tivesse acontecido, fez piada sobre as mulheres portuguesas e citou o sonho da noite anterior. “Não sei, essa noite eu sonhei com um negócio. Assim, parecia que o avião caía. Não sei. Não sei o que quer dizer isso”, comentou.

Além dos músicos, outras quatro pessoas também foram vitimadas no ocorrido.
E as canções como ‘Vira-vira’, ‘Sabrão Crá-Crá’ ou ‘Pelados em Santos’ não saíram da cabeça de muitos brasileiros. Hoje 25 anos depois dessa grande perda, os Mamonas ainda são lembrados. Nas redes sociais, por exemplo, o nome da banda entrou para os termos mais citados durante esta manhã, enquanto as pesquisas dispararam em motores de busca como o Google. Hoje só fica a saudade de cinco jovens que fizeram alegria de muitos brasileiros na década de 90.

Janaína PEREIRA – Redação Jornal DHoje Interior