Rio Preto recebe Prêmio Luiza Matida por eliminação da transmissão vertical do HIV

Foto SMCS

O município de Rio Preto recebeu, neste mês, o Prêmio Luiza Matida, em decorrência do resultado positivo nas ações para eliminar a transmissão vertical do vírus HIV, ou seja, a contaminação passada de mãe para filho, durante a gravidez ou durante o parto.

Municípios com mais de cem mil habitantes concorreram ao prêmio, que também leva em conta outros indicadores de impacto, como cobertura mínima de quatro consultas de pré-natal para 95% das gestantes e oferta de pelo menos um exame de testagem de HIV. Foram premiados 20 municípios do Estado de São Paulo.

Dhoje Interior

Para o secretário de Saúde, Aldenis Borim, o prêmio é resultado da dedicação e trabalho de excelência desenvolvido pelas equipes do Complexo de Doenças Crônicas Transmissíveis de Rio Preto, Vigilância Epidemiológica, Centro de Atendimento Especializado na Saúde da Mulher (Caesm), Atenção Básica, Programa Municipal de IST/AIDS, além de hospitais de referências. Nesses locais são realizadas ações de prevenção, acompanhamento e tratamento das Infecções Sexualmente Transmissíveis e AIDS.

Quem foi Luiza Matida

Luiza Matida, médica já falecida, trabalhou durante 20 anos no Centro de Referência e Treinamento do Programa de DST/AIDS-SP da Secretaria de Estado da Saúde, coordenou a elaboração e a implantação de políticas públicas e estratégias para a eliminação da transmissão vertical de HIV e Sífilis do Programa Estadual de DST/Aids. Em homenagem a Luiza Matida, o Programa Estadual DST/Aids-SP deu o nome dela ao prêmio, destinado aos municípios do Estado de São Paulo que alcançarem a meta de eliminação da transmissão vertical de HIV e Sífilis.

Prevenção, diagnóstico e tratamento

A estrutura da rede pública de Saúde de Rio Preto conta com o Complexo de Doenças Crônicas Transmissíveis, que trabalha com prevenção, diagnóstico e tratamento de ISTs e AIDS no município. No Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), a população pode realizar tanto o teste rápido, cujo resultado fica pronto em 15 minutos, quanto o convencional, que fica pronto em 15 dias. Caso o resultado seja positivo, a equipe de saúde encaminhará o paciente para o início do tratamento.

O tratamento para os pacientes com HIV/AIDS consiste na ingestão de medicamentos antirretrovirais que impedem a multiplicação do vírus no organismo e ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico. “O uso regular dos antirretrovirais é fundamental para aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV e reduzir o número de internações e infecções por doenças oportunistas”, afirma a gerente do Programa de DST/AIDS, Maria Amélia Zanon Rocha.

Além do Complexo, as 27 unidades de saúde mantêm o Programa Fique Sabendo, que faz o pré-aconselhamento, a coleta do exame e o pós-aconselhamento. Os insumos de prevenção, como os preservativos (camisinhas), também estão disponíveis nas unidades de saúde. Qualquer pessoa pode retirá-las sem necessidade de identificação. Também não há limite.

Da REDAÇÃO