Rio Preto: PM prende Barão do Ecstasy

Israel Domingues de Oliveira, conhecido como “Barão do Ecstasy”.

Israel Domingues de Oliveira, conhecido como “Barão do Ecstasy” foi preso na tarde de quinta-feira (24), no bairro João Paulo II, em Rio Preto.

Segundo equipes da Polícia Militar, foi cumprido um mandado de prisão de Israel, que era procurado por falsidade ideológica.  Na chegada das equipes ao local, Israel foi abordado e recebeu voz de prisão. O barão foi conduzido até a Central de Flagrantes de Rio Preto.

Dhoje Interior

A história do “Barão do Ecstasy” é longa no mundo do crime, Israel já foi apontado como líder de um megaesquema no qual enviava cocaína da América do Sul para a Europa e trazia ecstasy da Holanda para o Brasil.

Em 2004, O Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) – Núcleo de Rio Preto denunciou contra seis participantes de uma quadrilha acusada de lavagem de dinheiro. As investigações  apuraram que Israel Domingues de Oliveira e seu filho Israel Dias de Oliveira, com outros indivíduos, constituíram uma extensa e complexa rede de tráfico de drogas, especializada na aquisição, transporte, guarda e distribuição, em grande escala, das drogas skank, haxixe, cocaína e ecstasy.

A quadrilha adquiria cocaína no Peru, trazia a droga para o Brasil e enviava para a Europa, por meio de mulas (pessoas insuspeitas contratadas para levar drogas de um local ao outro), com destino principal para países como Holanda, Portugal, Espanha e Alemanha, onde era trocado por ecstasy. Os comprimidos de ecstasy eram trazidos ao Brasil e comercializados em várias regiões do Estado de São Paulo, em especial na região de Rio Preto.

A quadrilha mantinha um apartamento em São Vicente, litoral paulista, cidade onde, em 2005, policiais militares prenderam em flagrante de Israel Domingues de posse de cerca de 18 mil comprimidos de ecstasy, um pacote com 5,5 kg de cocaína, material para acondicionamento da droga em cápsulas e pranchas de surfe contendo em seu interior pacotes de cocaína. Também foram apreendidos valores em espécie – R$ 1 mil, US$ 500, E$ 500, e um carro.

Em 2015, ele foi preso durante uma operação policial, mas foi solto pouco tempo depois. A polícia encontrou armas na casa dele, uma calibre 32 e outra 38, além de munições dos mesmos calibres e de calibre 25.

Em julho de 2016, Israel Domingues de Oliveira, novamente foi preso e condenado a nove anos e quatro meses de prisão.

Por Mariane DIAS