Rio Preto permanece na fase Amarela e shoppings terão que se adequar

Na 17ª classificação do Plano São Paulo o Comitê de Contingência a Covid-19  manteve 90% do Estado na fase Amarela, incluindo a cidade de Rio Preto. Com isso nada muda do quatro atual vivido pela cidade no que diz respeito ao regramento e funcionamento das atividades liberadas.

Apesar de permanecer na fase Amarela, mudanças vão atingir em cheio os shoppings center de Rio Preto, pois a nova determinação estabelece que o funcionamento máximo dos estabelecimentos será limitado a 10 horas por dia. Atualmente o setor estava liberada 12 horas.

Dhoje Interior

Para o comércio e serviços em geral nada muda, pois a maioria deles já tem atendimento inferior das 10 horas diárias.

O Comitê fez adequações no que diz respeito a uma possível possibilidade para a região ir para a fase Verde que é menos restritiva. A região agora para alcançar a fase Verde a região por 14 dias devem ter uma média de apenas 30 internações e 3 óbitos para 100 mil habitantes..

Laranja – Por sua vez o ponto positivo para todos os setores econômicos mesmo que acontece uma futura regressão para a fase Laranja por exemplo, nenhum setor ficará proibido de funcionar – apenas acontecer restrições no que diz respeito ao horário de funcionamento que nesta fase passa de 4 para 8 horas por dia limitando-se o funcionamento até as 20 horas – por sua vez no que diz respeito a capacidade houve um acrescimento de 20 para 40% também na fase Laranja.

Segundo Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, apenas quatro regiões do Estado estão na fase Laranja são elas: Presidente Prudente, Marília, Registro e Sorocaba.

Protocolos – segundo Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência é mais importante que todos sigam os protocolos sanitários que estão estabelecido do que voltar a restringir as atividades econômicas.

Acirp – Em nota a Acirp (Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto) salientou que não enxerga muitos problemas em relação à restrição do horário de atendimento para 10 horas. “Obviamente, quanto maior o período de funcionamento, melhor para não gerar aglomeração. Mas, dez horas é um tempo a que o comércio já se adaptou; pode ser que alguma atividade sinta dificuldade de operar, mas não é algo que cause grandes transtornos, como perda expressiva de faturamento. O mais importante é manter as atividades econômicas na fase amarela, para que a recuperação econômica continue acontecendo e todos possam continuar trabalhando”, afirmou Kelvin Kaiser, presidente da Acirp.

Por Sérgio SAMPAIO – Da Redação DHoje Interior