RIO PRETO: Lei garante sala de aleitamento materno em creches

Para a vereadora Karina Caroline, autora da proposta, o leite materno é ouro (Foto - Cláudio Lahos)

Está em vigor em Rio Preto lei municipal que obriga as creches públicas e particulares a criarem um espaço para que as mães possam amamentar os filhos durante o período de aula da instituição.

Segundo a vereadora Karina Caroline (Republicano), autora da proposta, existe na cidade essa demanda das mães que querem continuar a amamentarem seus filhos quando voltam a trabalhar e têm que deixar as crianças em creches.

Dhoje Interior

“Estamos incentivando o aleitamento materno. O leite é ouro”, salientou a vereadora.

Ela explica que muitas mães voltam a trabalhar quando acaba a licença -maternidade e têm que colocar os filhos nas creches, deixando de amamentarem. A proposta que agora é lei tem com foco mudar essa realidade, pois segundo ela além da mãe poder amamentar na própria creche, a mesma se quiser poderá ordenhar e deixar este leite para ser dado ao filho durante o período na creche.

A lei 13.456, de 14 de abril de 2020, determina o regramento que estas salas de amamentação devem ser disponibilizadas atendendo todos os requisitos de saúde e higiene que mantenham mãe e filho seguros.

A sala de amamentação dever seguir um padrão sendo ele o seguinte: uma cadeira de coleta por 1,5m²; um ponto de água fria e lavatório, para atender aos cuidados de higiene das mãos e dos seios na coleta e um freezer ou refrigerador com congelador e termômetro, para monitoramento diário da temperatura, a fim de guardar exclusivamente o leite materno.

A vereadora afirma que o próprio Ministério da Saúde orienta que estes estabelecimentos devam ter uma sala de amamentação e de armazenamento de leite.

“Fico feliz que essa lei vai beneficiar as mulheres e os filhos”, finalizou Karina.

Por Sergio Sampaio