RIO PRETO: Câmara joga para os pais decisão de volta às aula

Os vereadores aprovaram na sessão desta terça-feira (20) por unanimidade o mérito de projeto que faculta à volta as aulas presenciais dos alunos da rede municipais aos pais ou responsáveis.

Segundo o vereador Jean Dornelas (MDB) autor do projeto, mesmo com a decisão da prefeitura de não ter aulas presenciais este ano na rede municipal, a aprovação do projeto é importante, pois deixa essa responsabilidade nas mãos dos pais.

Dhoje Interior

Resguardo – O projeto pode resguardar os alunos do Fundamental II alunos do 6º ao 9º anos que ainda não tiveram decisão anunciada pela administração municipal. Ou até mesmo caso no inicio do ano letivo de 2021 não haja uma segurança completa para a volta às aulas presenciais.

Sessão – outros três projetos dos sete na ordem do dia da sessão desta terça foram aprovados, um de autoria do vereador Jean Charles (MDB) que dispõe sobre a proibição da aquisição ou estoque por parte de Ferros-Velhos ou Fundições de bens públicos e de medidores de energia.

Por sua vez o vereador e presidente da Câmara, Paulo Pauléra (Progressistas) aprovou em proposta que realiza o tombamento do “Orquestra Sinfônica de São José do Rio Preto” e outro projeto aprovado desta vez de autoria do vereador Renato Pupo (PSDB) institui no calendário oficial de eventos do município a “Virada Animal” a ser comemorado sempre no dia 4 de outubro, ambos os projetos tiveram a legalidade aprovada.

Vista – dois projetos tiveram pedidos de vista (adiamento) aprovados o primeiro a proposta do vereador Jorge Menezes (PSD) que dispõe sobre o licenciamento de atividades econômicas temporárias como feiras e exposições.  O autor pediu 20 sessões de vista. O outro pedido foi mais polêmico, pois o autor questionou a rapidez que a vista foi aprovada, o vereador Celso Luiz Peixão (MDB) queria a votação de imediato de sua proposta que quer proibir que aconteça o abastecimento dos tanques dos postos de combustível por meio de caminhões e carretas durante horários que os postos estejam realizando atendimento a consumidores.

Prejudicado – por sua vez o projeto de vereador José Carlos Marinhos (Patriota) que altera o artigo 9º da Lei 13.204 de 25 de junho de 2019 que amplia de 10 para 20 anos o prazo do ano de fabricação dos veículos usados pelos motoristas de aplicativo, foi prejudicado pela ausência do vereador na sessão no momento da votação.

Por Sérgio SAMPAIO – Da Redação Jornal DHoje Interior