Região registra queda de investimentos; agro segura para resultado não ser pior

O Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados e Estatísticas) divulgou nesta quinta-feira (22) um estudo sobre investimentos no Estado de São Paulo durante o primeiro trimestre de 2021. A região de São José do Rio Preto teve R$ 2,9 milhões em investimentos em fevereiro e março (não houve registro de investimentos no mês janeiro na região), sendo que R$ 180 mil foram em março e R$ 2,7 milhões em fevereiro.

Os números registrados no período são os menores desde o início da pandemia. O valor mais baixo de investimentos registrados em um mês antes tinha sido em novembro com R$ 4 milhões.

Dhoje Interior

“Desde que a pandemia acentuou, os investimentos caíram de forma gradativa. Vale ressaltar que esses dados são coletados pelos nossos pesquisadores conforme eles são divulgados, ou seja, se uma empresa não quiser informar valores, nós não lançamos no painel. Na região de Rio Preto notamos que foram feitos investimentos de baixo valor. A gente espera que a economia melhore conforme a vacinação avance”, afirmou a economista e responsável pelo estudo, Margarida Kalemkariam.

O setor agrícola acabou sendo o responsável pelos principais investimentos no período. Em Catanduva, a Semecat, empresa de máquinas agrícolas, adquiriu uma nova área para ampliar suas atividades, com R$ 2 milhões em investimentos. Já em Rio Preto, a empresa Boi Saúde investiu R$ 500 mil para lançar um novo produto.

“Nós lançamos em fevereiro um novo tipo de ureia, que é utilizada na alimentação de bovinos. Era uma demanda que o nosso mercado já pedia, já que a ureia não pode molhar. Neste novo produto ela poderá ser molhada. O grosso do investimento foi para montar a equipe que pesquisou uma forma de desenvolver o produto. Hoje, esse produto é patenteado por nós e pretendemos comercializar a principio somente no mercado interno”, contou o proprietário e especialista em agronegócio, José Carlos Ribeiro.

No Estado de São Paulo, o total de investimentos foi de R$ 5,2 bilhões, sendo que quase dois terços dos recursos foram para serviços, atingindo R$ 3,1 bilhões. Em relação ao trimestre anterior, os investimentos nesse setor aumentaram 59%. Houve crescimento também na indústria, que avançou de R$ 544 milhões para R$ 871 milhões, o maior valor desde o início de 2020.

A maior parcela dos investimentos no setor de serviços foi destinada à Região Metropolitana de São Paulo – RMSP (82%), seguida pelas regiões de Campinas (16%) e Santos (2%). Na indústria, o destaque foi a região de Campinas, que concentrou cerca de 78% dos recursos do setor, enquanto os outros 22% dividiram-se entre a região Central (Araraquara e São Carlos) e a RMSP.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior