Raças Dorper e White Dorper têm 14ª Exposição Nacional em Rio Preto

A produção de ovinos de corte desponta como um filão de mercado no agronegócio brasileiro, oferecendo como atrativo a possibilidade de investir em uma criação com manejo que demanda pouco espaço, está pronta para o abate em menos tempo e tem muito mais valor de mercado em relação à carne bovina. Entre as raças ovinas, a Dorper e a White Dorper atendem a todos esses requisitos e ainda têm uma carne muito apreciada pela alta gastronomia.

No processo de criação, a qualidade dos animais é muito importante para garantir o ciclo de toda cadeia, e as provas de julgamento ajudam o produtor a conseguir o melhor desempenho. “Os julgamentos são importantes para a avaliação técnica. O reflexo desse processo a gente vê na ponta final da produção e reflete em qualidade para o consumidor”, explica o presidente da ABCDorper, Valdomiro Poliselli Júnior.

Dhoje Interior

Neste ano, a avaliação de qualidade das raças Dorper e White Dorper será feita na pista principal do Recinto de Exposições “AlbertoBertelli Lucatto”, que recebe, pela primeira vez, a 14ª Exposição Nacional das Raças Dorper e White Dorper. Realizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Dorper e White Dorper (ABCDorper), a edição da etapa nacional acontece dentro da FENOVI – Feira Noroeste Paulista de Ovinos, organizada pela Associação Noroeste Paulista de Ovinocultores (ANPOVINOS), entre os dias 7 e 12 de dezembro.

Cerca de 600 ovinos Dorper e White Dorper de criadores de todo o Brasil participarão dos julgamentos oficiais, que são retomados após um hiato de dois anos imposto pela pandemia da covid.

“Dorper e White Dorper são as raças que mais cresceram no País nos últimos anos. Há duas décadas, quando foi criada a ABCDorper, eram apenas 10 criadores em todo o Brasil; hoje, são mais de 2 mil. Isso porque tratam-se de raças originárias de regiões desérticas e que se adaptaram bem ao clima brasileiro, além de ter uma produtividade maior em relação a outras raças ovinas”, conta Poliselli Júnior.

Os ovinocultores que investem na criação de Dorper e White Dorper estão principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste. A criação é voltada tanto para corte como para reprodução, com investimentos em genética de ponta para o aprimoramento de animais puros ou cruzados com outras raças ovinas.

“Estamos falando das raças mais importantes da ovinocultura brasileira na atualidade. É um animal robusto, ideal para a produção de carne, que se desenvolve em menos tempo do que outras raças ovinas. Um cordeiro cruzado com Dorper, por exemplo, está pronto para o abate em 150 dias de idade, o que dá o aspecto macio de sua carne”, explica Poliselli Júnior.

Raças ovinas

FENOVI também receberá ovinos de outras raças, que, apesar de não participarem de julgamentos oficiais, serão expostos para comercialização aos criadores do Noroeste Paulista. De acordo com a Associação Paulista de Criadores de Ovinos (ASPACO), serão 25 animais das raças Suffolk, 10 da Poll Dorset e 25 da Ile de France, além de cerca de 80 fêmeas de rebanho geral, dedicadas à reprodução.

Da Redação