Queda de Cabelo e Covid 19

Médicos dermatologistas estão constatando um aumento nas queixas de queda de cabelo em pessoas que tiveram Covid-19, este é um dos sintomas da doença persistente que mais chama a atenção. A queda ocorre em geral depois da resolução da doença.

 “Geralmente a queda de cabelo ocorre  nos 3 primeiros meses, após os sintomas, mas pode acontecer até 6 meses e se manter até 9 meses depois do início da infecção”, diz a médica dermatologista Angélica Pimenta.

Dhoje Interior

A estudante Bruna Osório, de 23 anos, contraiu coronavírus no final do ano passado e meses depois notou que estava perdendo cabelo. “Eu percebi que meu cabelo estava caindo muito, não estava normal, nunca imaginei que poderia ser por causa do Covid, até porque já fazia um tempo que tinha me recuperado”, relata.

A médica diz que diversos motivos causam a queda dos fios. “Problemas emocionais, doenças infecciosas, autoimunes, distúrbios hormonais, alterações de pesos (…) O mais comum é a queda difusa em todo o couro cabeludo, que é chamada de eflúvio telógeno. Há pacientes com predisposição genética ou doenças autoimunes, por exemplo, que podem apresentar quedas pontuais, condição conhecida como alopecia areata”, relata Angélica.

A alopecia areata é uma doença inflamatória que provoca a queda de cabelo. Diversos fatores estão envolvidos no seu desenvolvimento, como a genética e a participação autoimune. Os fios começam a cair, resultando mais frequentemente em falhas circulares sem pelos ou cabelos. A alopecia areata não é contagiosa. Fatores emocionais, traumas físicos e quadros infecciosos podem desencadear ou agravar o quadro.

Segundo uma pesquisa intensa, publicada na plataforma MedRxiv, realizada pelas universidades da Suécia, Estados Unidos e México, com vários estudos apresentados e que envolveram 48 mil pacientes, concluiu que os sintomas mais comuns são: Fadiga (58%), dor de cabeça (44%), dificuldade em manter a atenção (27%), queda de cabelo (25%) e falta de ar (24%).

Acredita-se que COVID cause eflúvios por causar estresse intenso e por se tratar de uma doença infecciosa grave. 

Mesmo que a Covid-19 persistente esteja envolvida na queda do cabelo, a Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que o cabelo costuma crescer normalmente depois de um tempo, em média, 2 a 3 meses.

O que se pode fazer para ajudar na recuperação do ciclo natural do cabelo é uma higienização básica do couro cabeludo com shampoos adequados para cada tipo, em alguns casos a pessoa precisará ser medicada.

(Colaborou Maria Paula Andrade)