Que tipos de ameaças à segurança da internet existem?

Existem muitas ameaças, ataques e crimes virtuais que desafiam a proteção de dados. Conheça quais são os principais tipos de ameaças à segurança da internet!

Um clique despretensioso pode resultar em uma grande dor de cabeça no ambiente digital. Em poucos segundos a segurança do usuário pode ser quebrada e as consequências incluem vírus de computador, violações de dados, infiltrações na infraestrutura e golpes.

Dhoje Interior

As ameaças on-line são variadas e não discriminam alvos, ou seja, qualquer usuário está sujeito a ataques cibernéticos, de pessoas físicas utilizando o computador em casa até grandes corporações.

De acordo com um relatório do FortiGuard Labs, laboratório de inteligência de ameaças da multinacional de cibersegurança Fortinet, no ano de 2020 foram registradas mais de 8,4 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos no Brasil. A pandemia de Covid-19 é classificada como um fator que contribuiu com o alto número.

Utilização mais intensa por parte dos usuários, aumento no volume de transações de e-commerce, trabalho remoto e redução de equipes de tecnologia da informação culminaram em dados mais expostos e cadeia de segurança enfraquecida.

Tipos comuns de ameaças cibernéticas

Malware

Software que executa uma tarefa maliciosa em um dispositivo ou rede de destino, por exemplo, corrompendo dados ou assumindo um sistema.

Phishing

Um ataque por e-mail que envolve enganar o destinatário de e-mail para divulgar informações confidenciais ou baixar um malware clicando em um hiperlink na mensagem. No ano passado, 94% dos malwares que efetivamente infectaram sistemas em 2020 foram entregues por correio eletrônico.

Spear Phishing

Uma forma mais sofisticada de phishing, em que o cibercriminoso aprende sobre a vítima e se passa por alguém que ele ou ela conhece e confia.

Ataque MitM

Neste tipo de ameaça um invasor estabelece uma posição entre o remetente e o destinatário de mensagens eletrônicas e as intercepta, alterando-as em trânsito.

Trojans

É um tipo de malware que entra em um sistema de destino parecendo, por exemplo, uma peça padrão de software, mas uma vez dentro do sistema host, solta um código malicioso.

Ransomware

Este ataque envolve criptografar dados no sistema de destino e exigir um resgate em troca de permitir que o usuário tenha acesso aos dados novamente. Os hackers também são capazes de extrair as informações, pedindo resgate não apenas para liberar as redes comprometidas, mas também para que não liberem conteúdo sensível ou sigiloso publicamente.

Ataque DDoS

Um invasor assume muitos dispositivos e os usa para invocar as funções de um sistema de destino, por exemplo, um site, fazendo com que ele caia em uma sobrecarga de demanda.

Ataques a dispositivos IoT

Objetos incorporados a sensores, softwares e outras tecnologias com o objetivo de conectar e trocar dados com outros dispositivos e sistemas pela internet, são vulneráveis a vários tipos de ameaças cibernéticas. Isso inclui criminosos que tomam conta do dispositivo IoT para torná-lo parte de um ataque ou acesso não autorizado aos dados que estão sendo coletados pelo dispositivo.

Violações de dados

É um roubo de dados para ações como roubo de identidade, desejo de expor alguém e espionagem.

Malware em aplicativos móveis

Hackers podem incorporar um malware em downloads de aplicativos, sites móveis ou e-mails de phishing e mensagens de texto. Uma vez comprometido, um dispositivo móvel pode dar ao criminoso acesso a informações pessoais, dados de localização, contas financeiras e muito mais.

Como proteger-se

Para empresas, deve haver um investimento especial no caso de trabalho remoto. Além disso, há possibilidades diversas no mercado, como serviços de segurança terceirizados, sistemas que permitem a colaboração entre membros da equipe de segurança, ferramentas contínuas de simulação de ataque e soluções pontuais para navegação anti-phishing e navegação segura.

Proteção contra ameaças cibernéticas para pessoas físicas são importantíssimas, visto que as pessoas comuns são a parte mais vulnerável no sistema. Isso assusta, mas proteger-se contra esse perigo não é tão complicado. Acompanhe as dicas.

  1. Gerenciamento de senhas

Aposte sempre em senhas fortes e diversas. Os conhecidos 1234 ou datas de nascimento te tornam iscas muito fáceis para hackers.

  1. Conexão VPN (Virtual Private Network)

Através de uma rede virtual privada você estabelece uma conexão segura com a internet. Por meio da VPN, o tráfego de dados é roteado por um túnel criptografado, ocultando seu endereço IP para que seja redirecionado por meio de um servidor remoto.

Isso significa que o servidor VPN se tornará a fonte de seus dados, ou seja, outros usuários não podem verificar sites visitados ou dados enviados e recebidos. Uma VPN é como um filtro que transforma dados em informações inutilizáveis por terceiros. Além de computadores, existem provedores de conexões VPN para smartphones. Encontre mais análises sobre a melhor VPN aqui e conheça um resumo dos principais aplicativos VPN do mercado para conhecer a velocidade, segurança entre outras funções de cada uma delas para você fazer a escolha certa. ExpressVPN, CyberGhost e Private Internet Access (PIA) são algumas das mais populares ferramentas atualmente.

 

  1. Softwares antivírus

Adquira um bom antivírus e mantenha seu sistema atualizado e com checagens automáticas agendadas.

  1. Bom senso

Tenha cuidado com a abertura de anexos de arquivos. E-mails de phishing podem parecer muito reais e, inclusive, vindos de pessoas conhecidas. Apenas baixe anexos e clique em links que você tenha 100% de certeza sobre o remetente.

 

 

Da REDAÇÃO