Protesto denuncia a falta de insumos para tratamento de diabéticos

Foto: Bia Menegildo

Cerca de 30 pessoas, entre familiares e diabéticos, fizeram um protesto em frente o prédio da Prefeitura de Rio Preto, na manhã de sábado (10). A principal reclamação é a falta de insumos para o tratamento de diabetes, que deveria ser fornecida pelo Departamento Regional de Saúde, a DRS, da Secretaria Estadual de Saúde.

A dona Raquel Vitorélio Gomes tem um filho de 16 anos que faz tratamento desde 2011. Ela relata que já vai fazer um ano que está enfrentando dificuldades para pegar os insumos. “Sempre está faltando alguma coisa. Ou é a insulina, ou o cateter ou o reservatório. Nunca entregam o kit completo. O custo total do tratamento dele é em torno de R$ 1.200 por mês. Não temos condições de arcar com isso. Agora que ele está passando mal constantemente, temos que correr com ele para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento)”, relatou a dona de casa.

Dhoje Interior

Os pacientes que estão passando por dificuldades organizaram grupos em redes sociais, relatou Afonso Parra. Ele é casado com Lirian Parra, que faz tratamento para a doença desde os 12 anos de idade. “Alguns pacientes recebem mais cateteres, outros recebem mais insulina. Não tem um padrão de distribuição. Os grupos nas redes sociais têm ajudado os pacientes fazer essa troca de equipamentos para otimizar a distribuição e não faltar para ninguém”, explicou Afonso.

O custo mensal da manutenção do equipamento fica em torno de R$ 5 mil reais. A função da bomba é jogar insulina de forma automática no sangue, trazendo menos efeitos colaterais ao paciente e mais eficácia no tratamento.

Muitos dos pacientes que participaram do protesto têm ações judiciais em que o juiz estipulou multa pelo desabastecimento.

Por Bia MENEGILDO