Promotora diz que arma que matou diretora de fotografia em filme era ‘legítima’

Ator Alec Baldwin e diretora morta durante gravação de filme

A promotora do condado de Santa Fé, Mary Carmack-Altwies, afirmou, em entrevista ao “New York Times”, nesta terça-feira (26), que a arma que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins era “legítima”.

O incidente no set do filme “Rust” aconteceu na última quinta-feira (21), após o ator e produtor Alec Baldwin disparar com a arma que foi liberada pelo diretor assistente Dave Halls.

Dhoje Interior

Segundo o jornal americano, a promotora afirmou que, embora todos tenham descrito que a arma era cinematográfica, a nomenclatura era “enganosa”.

“Era uma arma legítima”, disse a promotora, sem deixar claro qual o tipo de arma de fogo. Ela ainda descreveu como uma arma de época, antiga.

Mary Carmack-Altwies confirmou que a investigação está em andamento e que os detetives estão concentrados em descobrir o tipo de munição que foi usada.

Ela também afirmou também achance de acusar criminalmente a produção ainda não foi descartada.

“Não descartamos nada. Tudo neste momento, incluindo acusações criminais, está sobre a mesa”, afirmou Carmack-Altwies ao jornal americano.

A arma disparada por Alec Baldwin no set de “Rust” tinha sido usada para práticas de tiro ao alvo pela equipe horas antes do acidente que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins, segundo fontes ouvidas pelos sites TMZ e The Wrap, especializado em negócios do entretenimento.

De acordo com os relatos, membros da equipe praticavam o tiro ao alvo como um passatempo, fora do set e com armas carregadas apontando para garrafas de cerveja. Segundo a fonte do The Wrap, essa é uma prática comum durante os intervalos de filmagens.

Uma destas foi entregue para Baldwin, de acordo com os relatos. No entanto, quem entregou disse que ela estava segura. Na indústria cinematográfica, isso quer dizer que ela estaria livre de munição real.

Da Redação