Produtos de hortifrúti apresentam queda nos preços e arroz sobe

Foto: Claudio Lahos

Os produtos de hortifrúti tiveram uma queda nos preços em setembro, segundo o Índice de Preços dos Supermercados (IPS), calculado pela Apas/Fipe. O levantamento da Associação Paulista de Supermercados (Apas) aponta que, na média, estes produtos registraram queda de 2,59% no mês. O destaque fica para as frutas (-1,73%), legumes (-3,11%), tubérculos (-4,76%), ovos (-0,6%) e verduras (-2,02%). Entre os produtos que tiveram a maior deflação no mês estão chuchu (-20,25%), mamão (-18,3%) e batata (-11,89%).

No geral, setembro foi responsável por uma marca mensal de 2,2%, recorde para o mês desde 1994. Como base de comparação, em 2019 o acumulado até setembro era 2,2%. O principal motivo da alta, segundo a Apas, está no dólar, que impacta a cadeia de produção, principalmente produtos dependentes da soja, como o óleo que subiu 30,6% (61,7% no acumulado de 2020).

Dhoje Interior

“A exportação do grão ocasiona a escassez no mercado interno, o que aumenta o custo na produção do óleo e eleva o preço do produto. Acreditamos que o cenário não deve mudar até o início de 2021, para quando está previsto um aumento da safra”, explicou o presidente da Apas, Ronaldo dos Santos.

Pelo nono mês seguido, o aumento no arroz foi de 16,9% em setembro e acumula 47,04%. O leite, que desde março segue em alta, em setembro atingiu 7,26%, somando, em 2020, 37%. Como consequência, os produtos derivados também sofreram aumentos, como 7,73% na muçarela, 5,8% no queijo prato e 5,28% no leite condensado.  Já o feijão registrou uma queda de 1,78%.

Os reflexos do atual cenário refletem também nos cortes de carnes mais populares. Contrafilé, acém e coxão duro tiveram um expressivo aumento na demanda e subiram 7,81%, 6,68% e 9,7%, respectivamente.

Até setembro, a inflação geral no setor varejista alimentar acumulada em 2020 é de 8,3%. Em 2018 e 2019, para todo ano o saldo foi 4,33% e 5,73%, respectivamente. “O aumento do desemprego e as dificuldades de renda do brasileiro refletem nas escolhas do consumidor, que sente esta inflação causada por um cambio desvalorizado frente ao dólar. A Apas segue conversando com toda a cadeia de abastecimento e solicitando aos supermercadistas que apenas repassem aos consumidores os aumentos provenientes dos produtores”, comentou Ronaldo.

Da REDAÇÃO