Primeiro dia do Enem tem alto índice de abstenção e redação sobre saúde mental

Cerca de 2,6 milhões de brasileiros prestaram a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste domingo (17). O primeiro dia da edição deste ano foi marcado pelo alto índice de abstenção dos candidatos, com mais da metade não comparecendo no exame. Segundo o Inep, apenas 48,5% dos inscritos fizeram a prova. No Estado de São Paulo foram mais de 475 mil ausentes dentre os 881 mil inscritos. Houve ainda 2.967 participantes eliminados por desrespeitar as regras da prova.

Em Rio Preto, a estudante Isadora Fernandes Sevilla, 20 anos, sonha em fazer medicina e fez a prova do Enem. Para ela, a prova foi bem diferente neste ano. “Percebi que não caiu muito conteúdo, parecia ser muito questões de interpretação de texto. Tinha uns textos que eram bem difíceis e estava bem cansativo, com muitos textos. Porém, havia outras questões bem mais objetivas. Achei bem diferente”, comentou.

Dhoje Interior

O tema da redação nesta edição foi “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. Isadora diz que gostou da escolha do tema, mas se surpreendeu. “Eu esperava um tema relacionado à educação, mas depois que eu li o texto de apoio eu achei o tema algo super humanizado e bem pertinente em meio a pandemia. De todos os anos que eu fiz o Enem, esse foi o melhor tema que eu já recebi”, afirmou.

Para a professora de redação do Colégio Kelvin em Rio Preto, Priscilla Zanforlim Zago, o tema não foi difícil para os alunos. “É um assunto que ronda a vida dos jovens e apareceram bastante em 2020, que foi um momento de quarentena, isolamento social, uso tecnologia e o excesso de informações. Não foi um assunto inesperado. Escrever nunca é fácil, mas o tema não foi difícil”, comentou.

Ela também avaliou as questões da prova de Linguagem e Códigos. “Foi uma prova mediana, bem comum, com muitos textos longos e muitas questões de interpretação. A prova seguiu discutindo temas sociais em diferentes gêneros discursivos como tirinhas, poemas e contos”, afirmou.

“Foi uma prova atípica, por ser realizada em meio a uma pandemia e as notícias de falta de garantia por parte do Inep em relação ao distanciamento nas salas talvez possa ter levado a essa abstenção em mais de 50%”, afirmou o professor de história no Colégio Anglo em Rio Preto, Marcelo Gomes Esteves.

Ele ainda falou sobre suas impressões nas questões de história no caderno de ciências humanas. “A predominância foi de questões de história geral, com nove questões. O nível de dificuldade foi parecido com o de outros anos, no sentido em que se cobra muita leitura e interpretação de textos. Outro ponto importante é que normalmente o Enem cobra mais sobre história contemporânea e neste ano tivemos predominância de história antiga e moderna”, comentou.

No próximo domingo (24) será realizado o segundo dia de prova do Enem, com as questões de matemática e ciências da natureza.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior