PRF prende caminhoneiro após pedido de socorro da mulher nas redes sociais

Foto Divulgação PRF

Um homem de 41 anos foi preso em flagrante após um pedido de socorro feito por uma mulher de 38 anos nas redes sociais. O caminhoneiro agredia sua esposa e mantinha a mulher em cárcere privado na cabine do caminhão. A abordagem foi realizada por volta das 17 horas desta quinta-feira (25), no Km 78 da BR 153, em Bady Bassitt.

Segundo informações da PRF – Polícia Rodoviária Federal  o casal mora em Anápolis, Estado de Goiás, e estava retornando de uma viagem que fizeram ao Estado de Santa Catarina, de onde traziam uma carga de madeira para Brasília no Distrito Federal.

Dhoje Interior

Os policiais rodoviários receberam o pedido de ajuda através de vários compartilhamentos de prints das postagens que a mulher realizou nas redes sociais, dizendo que sofria agressão de seu companheiro. Ela desenhou uma cruz vermelha na palma da mão, demonstrando um pedido silencioso de ajuda (que remete a  “Campanha Sinal Vermelho” para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica). Este gestou levou a sucessivos compartilhamentos da imagem, até chegar ao conhecimento da PRF.

Ainda segundo a PRF, com a placa do caminhão, os policiais rodoviários federais realizaram a abordagem e constataram as agressões na mulher que inclusive apresentava visíveis sinais de violência no rosto. O caminhoneiro foi conduzido a delegacia de Bady Bassitt onde permaneceu detido e irá responder pelo crime de cárcere privado e violência doméstica.

Ele já estava respondendo a outros inquéritos policiais pelo mesmo crime, porém não havia medida protetiva contra ele.  O caminhão foi apreendido e ficará à disposição da empresa. A vítima passou por exame de corpo de delito e foi liberada.

A PRF monitora as redes sociais, em busca de pedidos silenciosos de ajuda como estes e orienta à população para que marque as redes sociais oficiais da instituição, ao compartilhar pedidos de ajuda como este, para facilitar a identificação e levar ao resgate de pessoas em situação de risco.

Foto Divulgação PRF

 

Janaína PEREIRA – Redação Jornal DHoje Interior