Prefeitura reteve fatura da Alt Tec para pagar salários de Maio

A recomendação foi feita pelo MPT a Prefeitura na audiência de conciliação com a participação da empresa e do sindicato foto_Sérgio SAMPAIO_JT

A Prefeitura de Rio Preto atendeu pedido do MPT (Ministério Público do Trabalho) e reteve a fatura do mês de maio da empresa terceirizada Alt Tec que presta serviços a Educação.

Segundo Sergio Paranhos, presidente do SETH (Sindicato dos Empregados em Turismo e Hospitalidade) que representa dos trabalhadores, a recomendação foi feita pelo MPT a Prefeitura na audiência de conciliação que aconteceu no dia 28 de maio com a participação da empresa e do sindicato.

“A Prefeitura fará o pagamento dos salários dos funcionários que ainda estão trabalhando diretamente na conta dos mesmos”, salientou Paranhos que confirmou que são aproximadamente 250 trabalhadores que ainda estão ligados a Alt Tec.

O contrato da empresa se encerra no dia 21 de junho e a mesma não teve êxito no processo licitatório que estava aberto. “Esperamos que a Prefeitura retenha também a fatura dos dias de junho, pelo menos para pagar os salários remanescentes. E depois vamos ver o que vai acontecer na hora da rescisão do contrato”, alertou o sindicalista.

Demitidos – no que diz respeito aos 250 que foram demitidos que estão tendo dificuldades de receber a rescisão o sindicalista afirmou que a empresa procurou o SETH conforme orientação do MPT para rever as demissões e por conta disso deve ingressar com uma Ação para tentar garantir na Justiça o direito dos trabalhadores.

Na audiência feita no MPT que tratou deste assunto também ficou que não existiu nenhum motivo de “Força Maior” como alegou a empresa para pagar apenas 50% da rescisão relembrou Paranhos.  Na ocasião no entendimento do procurador do Trabalho, Luciano Zanchelli Michelan, nada enquadra a empresa nos requisitos apresentados pela mesma como “Força Maior”, relacionados à pandemia de Covid-19 que justificasse a atitude tomada.

“Nós vamos ter que entrar na justiça para garantir as verbas rescisórias destes trabalhadores que já foram demitidos”, finalizou Paranhos.

Por Sérgio SAMPAIO