Prefeitura deve arrecadar R$ 20 milhões por outorga do serviço de transporte

Prefeitura de Rio Preto quer prorrogar serviço de transporte

A Prefeitura de Rio Preto deve arrecadar R$ 20 milhões caso o projeto que prorroga o atual contrato de concessão do transporte coletivo seja aprovado pela Câmara Municipal. Este é o valor previsto por técnicos da secretaria de Trânsito somente com a outorga do serviço para atuais empresas: Circular Santa Luzia e Expresso Itamarati.

O valor foi obtido pela correção do IPCA de novembro de 2011 a outubro de 2021. O contrato está em vigor desde 2011, assinado durante o governo do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB) e termina no dia 8 de novembro. Para ser prorrogado por mais dez anos é preciso de autorização do Legislativo.

Dhoje Interior

Os R$ 20 milhões deverão ser pagos da seguinte forma: R$ 13 milhões pela Circular Santa Luzia, que detém quase 70% das linhas e R$ 7 milhões pela Itamarati que possui 30% restante.

A proposta que pede autorização para prorrogação do serviço será analisada quanto a legalidade nesta quinta-feira, dia 14. A votação do mérito está prevista para o dia 26. Antes haverá três audiência públicas para debater o assunto. A expectativa é que técnicos da pasta de Trânsito possam explicar detalhes que não constam na proposta. Outra observação apontada por parte dos vereadores é se haverá mudanças na prestação do serviço, com a inclusão de novas linhas e mudanças no sistema.

A pandemia teve efeitos negativos para o transporte coletivo em todo o Brasil. Em Rio Preto não foi diferente. Em 2019 a média de passageiros transportados por dia foi de 98.860 pessoas. O número caiu drasticamente em 2020, ano do início da pandemia do coronavírus, com 53.304 passageiros transportados. Neste ano, a média é ainda menor com 49.623 passageiros até o momento. Analisando os números houve uma redução de 50,19% de passageiros em todo o sistema de transporte público.

São 251 ônibus a serviço da população (179 da Circular e 72 da Itamaraty) distribuídas em 80 linhas pela cidade.

A tarifa custa R$ 3,30 para pagamento com cartão e R$ 3,50 para pagamento em dinheiro. O valor da tarifa técnica é de R$ 4,22 por passageiro. A Prefeitura paga a diferencia por meio do subsídio. Está mantido desde 2019 total anual de cerca de R$ 16 milhões de reais apenas para custear o subsidio da tarifa.

Informações obtidas pelo Dhoje Interior revelam que com a prorrogação do contrato a tarifa irá custar R$ 3,70 para pagamento no cartão e R$ 4,10, na passagem paga com dinheiro. Os valores atuais são de R$ 3,30, e R$ 3,50, respectivamente.

Raphael Ferrari – Dhoje Interior