Prefeitura avalia acervo para criação de museu ferroviário

Estação ferroviária que abriga a Secretaria de Desenvolvimento Econômico

A prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Negócios de Turismo (Semdec), realiza nesta sexta-feira, 26, a avaliação do acervo histórico herdado de antigas companhias de trens, como parte do projeto de criação de um museu ferroviário.

A análise será feita por uma comissão com integrantes das secretarias de Desenvolvimento e da Cultura, ex-ferroviários, e pela museóloga Luiza Cristina Mendes da Silva Barbosa, responsável pelo Museu Ferroviário Regional de Bauru, fundado há 32 anos e considerado uma referência.

Dhoje Interior

A implantação do Museu Ferroviário de São José do Rio Preto é um projeto para preservar memórias, objetos e equipamentos remanescentes da Estrada de Ferro Araraquarense (EFA), posteriormente incorporada à Fepasa (Ferrovia Paulista S/A), que envolve as diretrizes do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) e do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP).

A representante da Cultura, Thais de Freitas, ligada à gestão de museus municipais, já fez uma triagem prévia do material, que agora será analisado com mais detalhes pela comissão.

A criação do novo museu se integra ao plano de reforma e restauração da histórica estação ferroviária do município — atualmente na segunda fase — e ao projeto turístico cultural Trem Caipira, com o objetivo de dar vida ao patrimônio histórico de Rio Preto e transformando-o em um atrativo turístico regional. A própria Semdec funciona, desde 5 de novembro deste ano, no prédio da Estação Ferroviária, depois da conclusão da primeira fase de reforma e restauração.

O projeto do museu ferroviário já recebeu, também, uma contribuição do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), que fez a doação de três vagões de passageiros, que podem ser incorporados ao acervo. Como parte do processo de implantação, a Semdec planeja a realização de uma chamada pública para receber novas contribuições, inclusive realizadas por munícipes, de itens, fotos e depoimentos sobre a história do transporte ferroviário na cidade. Mas é possível contribuir com o projeto mesmo antes da realização da chamada pública, por meio do contato com a secretaria de Desenvolvimento pelo telefone (17) 3513-5001.

Raphael Ferrari – Dhoje Interior