Prefeitura alerta para risco de esporotricose na Represa Municipal

PREVENÇÃO - Funcionários da prefeitura instalam placas para orientar sobre risco de zoonose na Represa

A Vigilância Ambiental iniciou na última terça-feira a instalação de placas informativas sobre presença do fungo Sporothrix, conhecido como esporotricose, que é uma micose que pode afetar animais e humanos e é classificado pelo Ministério da Saúde como zoonose.

De acordo com o órgão, a ação, de caráter educacional, tem como objetivo a prevenção e o controle da doença no local que mantém grande número de gatos. A iniciativa atende pedido de protetores de animais que desenvolvem trabalho voluntário no local, e que nos últimos anos foram responsáveis pela castração de mais de 300 animais, com o apoio do projeto Tampinha Que Salva, do Instituto Vira-Latas, que realiza a captura e o transporte dos animais até a Diretoria do Bem-Estar Animal onde são castrados.

Dhoje Interior

Nos últimos anos, o crescimento da quantidade de animais com esporotricose resultou na retirada de moveis antigos, que teoricamente serviriam de abrigo aos animais, por tubos de cimento, visando ampliar a limpeza do local, que passou a ocorrer durante duas vezes na semana por funcionários do Parque da Represa.

A Vigilância Ambiental esclarece que a micose causada pelo fungo Sporothrix pode infectar animais e seres humanos. O fungo é encontrado na natureza em ambientes com matéria orgânica em decomposição, como plantas, madeira e terra. “Os gatos são os animais domésticos mais sensíveis à Esporotricose. Na maioria das vezes, adquirem a doença durante brigas, que ocorrem no período de acasalamento. O animal contaminado transmite o fungo para o homem por meio de arranhões, mordidas ou contato com uma lesão”, diz nota encaminhada pela prefeitura.

Nos gatos, a doença começa com o aparecimento de feridas, geralmente na face e nos membros, e depois se espalha para todo o corpo. No homem, surgem lesões avermelhadas no local da contaminação, que progridem para outras áreas do corpo. Em caso de contato com um animal doente e surgimento de  lesões, a indicação é procurar o serviço de saúde mais próximo.

Da REPORTAGEM