Preço do gás de cozinha quase dobra em uma década

Ao longo de 2020, a Petrobras realizou diversos reajustes no preço do botijão de gás GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), o popular gás de cozinha. O último reajuste foi de 5%, anunciado no dia 3 de dezembro. A alta no acumulado de 2020 foi de 21,9%.

Segundo o levantamento divulgado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), realizado em 17 distribuidoras em São José do Rio Preto entre os dias 6 e 12 de dezembro deste ano, o preço médio do botijão de gás de cozinha de 13 kg está em R$ 74, com valor mais baixo encontrado em R$ 65,99 e o mais alto em R$ 80.

Dhoje Interior

Em comparação ao mês de dezembro 2019, o preço médio do gás aumentou em R$ 6,10. Este é o terceiro maior aumento na década na cidade. Em 2015 o aumento foi de R$ 10,57 e em 2017 foi R$ 10,39. Desde 2011, o preço do botijão quase dobrou no município, saindo de R$ 37,89 na época para o atual R$ 74.

“O preço do gás tem uma particularidade, pois ele segue o preço do resto do mundo, mesmo para os que são produzidos no país. Com isso, nós pagamos um preço internacional em algo que circula internamente, gerando valores bem altos”, afirmou o economista José Mauro da Silva.

Durante o início da pandemia, a procura por gás em Rio Preto gerou filas e chegou a registrar falta na cidade. “O gás é um item essencial para todo mundo e o aumento do preço impacta muito no orçamento das famílias. O crescimento do preço neste ano pode ser atribuído à pandemia, já que as pessoas ficaram em isolamento em casa e consequentemente utilizaram mais o gás, aumentando a demanda”, comentou o economista.

Por Vinicius LIMA – Redação jornal DHoje Interior