Por falta de pagamento funcionários ‘impedem’ show em Rodeio de Ipiguá

Um dos shows mais esperados para a última noite do 2º Rodeio Show Ipiguá nem bem começou e teve que acabar, deixando os fãs irritados. A dupla sertaneja rio-pretense Fiduma & Jeca se apresentaria na noite do último sábado em Ipiguá, mas teve que encerrar a apresentação logo na segunda música quando seguranças e o grupo de bombeiros civis contratados para o evento invadiram o palco, alegando falta de pagamento e impossibilitaram o show continuar.

A festa que começou na última quarta-feira terminaria no sábado. Por não ter recebido pelos quatro dias trabalhados, um grupo com cerca de 20 pessoas ‘protestou’ em frente à casa do prefeito da cidade, na madrugada de domingo. A polícia precisou ser chamada para conter a situação.

Dhoje Interior

A portaria do evento custava R$ 10 por noite e também foram vendidos ingressos para camarote, custando mais de R$ 100. Mas o espaço dos camarotes foi montado às pressas e liberado apenas na quinta-feira, estando inclusive sem a cobertura. Na noite de sábado o evento chegou a reunir cerca de 5 mil pessoas.

Na página oficial da dupla na internet, eles soltaram um comunicado afirmando que após o ocorrido se reuniram com os profissionais que impediram o show, numa forma de tentar continuar a apresentação, mas não conseguiram chegar a um acordo. Em um trecho da nota eles dizem que esperam voltar a ser apresentar na cidade em breve. “Deixamos claro que também fomos pegos de surpresa e que o encerramento do show não é de responsabilidade da dupla. Agradecemos o apoio e compreensão de todos os fãs e público presente e, esperamos retornar em breve a Ipiguá/SP, cidade que sempre nos recebeu com muito carinho e respeito”.

Segundo um membro da comissão organizadora de rodeio na cidade, esse ano a Prefeitura e a comissão não tinham nenhuma responsabilidade sobre o evento, que foi terceirizado. A comissão não quis se pronunciar sobre o assunto e nem se a Prefeitura irá arcar com o prejuízo, afirmando apenas que o caso está nas mãos dos advogados.
De acordo com o bombeiro civil que trabalhou no evento, Alexsandro Sales, a equipe era composta por 15 profissionais e mais uma ambulância. “Tivemos um prejuízo de R$ 6,3 mil”, disse.

A equipe do DHoje Interior tentou entrar em contato com algum funcionário da Prefeitura e também com o prefeito da cidade para conversar sobre o caso, mas – apesar das insistentes ligações -, ninguém retornou.

Fonte: Priscila Carvalho – Redação jornal DHoje Interior