Polícia prende integrante de organização especializada em roubos de relógios de luxo

Polícia Civil prendeu um homem, de 32 anos, acusado de integrar uma organização especializada em roubos de relógios de luxo, em Rio Preto e região. O crime mais recente aconteceu, na manhã do último sábado (23), em frente a um hotel de luxo, na avenida José Munia em Rio Preto.

O delegado coordenador do 1º Distrito Policial de Rio Preto, Júlio Pesqueiro que investiga o caso, contou que a vítima foi rápida e ajudou com na investigação ao passar dados de um carro suspeito. “Ela olhou gravou que o carro havia dado duas ou três voltas em frente ao hotel, depois disso veio uma pessoa de moto e levou o relógio. A vítima anotou o último número da placa do carro e a cidade da placa”, disse o delegado.

Dhoje Interior

Pesqueiro ponderou ainda que, “Descobrimos que havia um veículo envolvido e a partir dele a investigação deu andamento maior. Este veículo estava na estrada no sábado, já passando próximo a Rio Claro, a partir daí nós pedimos a intercepção, que ocorreu já na Bandeirantes, em Itupeva. Com a pessoa não foi encontrado o Rolex, mas ela disse que fez o roubo e que estava efetuando outros roubos”.

O acusado mora em Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo. “Na casa dele foi encontrado Rolex, dinheiro, munição, então trata-se realmente de uma organização criminosa da cidade de São Paulo que estaria efetuando em esses roubos em Rio Preto, Ribeirão Preto e Campinas”.

Segundo o delegado, a organização atuava no interior e revendia os relógios na Capital Paulista. “Alguns modelos de relógios apreendidos podem chegar até R$ 100 mil. Em Rio Preto não tem mercado para isso, então tudo era revendido em São Paulo”.

Investigação

Em Rio Preto, em 30 dias mais de dez relógios de luxo foram roubados. “Há pouco mais de um mês, dez ou mais relógios Rolex foram roubados, a questão foi estranha. Uma investigação passou a ser realizada naquele instante. Descobrimos que os pontos de atuação do criminoso seriam condomínio de luxo, restaurante classe a e hotéis”, disse o delegado.

“O Rolex trata-se de uma joia, ele não é só um relógio, existem Rolex de R$100 mil. Trata de uma quadrilha especializada, ou seja, uma organização criminosa especializada em Rolex”.

Integrante preso

Equipes policiais de Campinas e Rio Preto capturaram Wesley Deleon, de 32 anos. O homem tem duas passagens por receptação e porte de arma. Deleon ficou preso durante dois anos e meio na penitenciária de Pacaembu. Segundo o delgado, o padrão de vida do acusado era alto. “Ele um Audi do ano de 2019, um carro da Hyundai e duas motos com mais de 100 cilindradas. É uma pessoa que vive muito bem. Ele confessou que vinha a Rio Preto para roubar, diante das provas não tinha como ele não confessar”, disse o delegado.

O delegado que investiga o caso, acredita que há pelo menos cinco pessoas envolvidas no crime. “Rio Preto não temos mercado pra venda desse tipo de relógio, essa ação é feita, totalmente, em São Paulo, para pessoas que atuam no mercado negro na capital. Por enquanto, o suspeito está em Itupeva, porque foi capturado lá, ele será encaminhado a um presídio de segurança e lá vai permanecer. A questão é que vamos buscar todo esse material apreendido e também cópia de tudo que foi feito lá pra nós continuarmos a partir desse ponto”, finaliza o delegado.

A pena para quem compra objetos roubados varia de 4 a 8 anos de prisão.

Por Mariane DIAS