Polícia Civil deflagra operação para desarticular quadrilhas de estelionatários

A Polícia Civil de Rio Preto deflagrou, na manhã desta quinta-feira (2), às 5h, a ‘Operação Pix’ que tem o intuito de desarticular quadrilhas especializadas em golpes de estelionato. Dezesseis mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de São Paulo, Caieiras, Guarulhos e Mogi das Cruzes.

Os mandados ficaram a cargo de equipes do Núcleo de Polícia Judiciária dos 1º, 2º e 5º DPs rio-pretenses, através do seu Setor de Investigações Gerais (SIG). A ação também contou com o apoio Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Garra Dope. Foram mobilizadas na operação 18 viaturas policiais com 76 profissionais de segurança.

Dhoje Interior

Em nota para imprensa, a Polícia Civil informou que 12 dos mandados tiveram resultado frutífero, possibilitando a localização de investigados e apreensão de notebooks, celulares, cartões bancários, máquinas de cartões e anotações diversas.

Para o jornal DHoje, o delegado Amaury Scheffer, responsável pelos 1º, 2º e 5º DPs, explicou que a operação possui diversos inquéritos sobre tipos diferente de estelionato.

“No golpe do PIX normalmente os criminosos conseguem clonar ou trocar a foto da pessoa que vai se passar pelo parente da vítima. Então eles entram em contato e dizem que estão precisando de dinheiro, ai a pessoa acredita por causa da foto que o criminoso está usando que é do familiar da vítima e acaba fazendo o depósito. Já o falso motoboy os criminosos fingem serem funcionários de agências bancárias informando que a vítima está com atividade suspeita na conta e que precisa ser bloqueada. Então eles pedem para a vítima quebrar o cartão e falam que um funcionário vai buscar o objeto bancário”, detalhou.

O delegado ainda acrescentou que durante o período de pandemia os números de golpes de estelionato aumentaram, virando a nova moda criminal.

“Então esse golpe, infelizmente, nesse momento que nós passamos de pandemia, e que ainda estamos nos recuperando desse processo de inflação, se tornou o crime do momento, as pessoas estão partindo para este lado. Sempre teve, mais agora aumentou demais fazendo com que sejam registrados em torno de nove ocorrências de estelionato”, frisou.

Aproximadamente 200 pessoas que estão envolvidas na atividade criminosa já foram identificadas durante o cumprimento dos mandados que têm o propósito de colher provas que colaborem na identificação e prisão dos integrantes das quadrilhas.

Ainda segundo o delegado Amaury, as investigações continuaram ocorrendo e os investigados responderão pelos crimes de estelionato e organização criminosa.

Sobre a investigação

Conforme a Polícia Civil, as investigações da operação iniciaram em fevereiro de 2021, quando mãe e filha foram presas acusadas de cometerem o crime de falso sequestro, o que colaborou na identificação do líder do golpe, que estava preso no Rio de Janeiro.

Oito meses depois, em outubro, a Polícia Civil teve êxito em prender os membros de uma quadrilha que era especializado no ‘Golpe da OLX’, no qual os criminosos fraudavam os anúncios do site de compra e venda. A atividade contou com o apoio das policias civis de Mato Grosso e Santa Catarina.

Na mesma ação os policiais prenderam em Cuiabá um dos líderes dos estelionatários junto com outros membros. E durante as investigações os policiais também prenderam em Florianópolis um dos maiores ladrões de carga do Brasil.

Colaborou – Bruna MARQUES – Redação Jornal DHoje Interior