Período de piracema começa e Polícia Ambiental intensifica fiscalização

Foto Divulgação

A piracema, período de reprodução dos peixes, começa nesta quinta-feira, dia (1º) de novembro e os pescadores têm que ficar atentos às restrições em relação à pesca. Policiais ambientais percorrerão rios da Região Noroeste em busca de irregularidades. Até o helicóptero Águia da Polícia Militar irá sobrevoar os rios para dar suporte ao trabalho.

Segundo o tenente coronel do 4º Batalhão da Polícia Ambiental de Rio Preto, Douglas Vieira Machado, nada mudou em relação à Piracema do ano passado, ou seja, é proibida a captura de espécies da fauna ictiológica da nossa região, como corimba, piau, traíra, barbado, dentre outros, sendo permitida a pesca, na quantidade máxima de 10 Kg mais um exemplar por pescador amador, de espécies que não são provenientes da Bacia do Paraná, como corvina, tilápia, tucunaré, zoiudo, carpa.“É permitida a utilização de iscas de peixes vivos, desde que oriundos de criações e acompanhados de nota fiscal ou nota do produtor. É vedada a pesca subaquática bem como o uso de materiais perfurantes, tais como: arpão, arbalete, fisga e lança”, disse o comandante.

Dhoje Interior

Na piracema é proibido capturar qualquer peixe nativo, mas fica liberada apenas a pesca de espécies exóticas, como o tucunaré e a tilápia. O uso de rede, tarrafa e arpão também está proibido e os pescadores têm que ficar a, pelo menos, um quilômetro e meio de distância das barragens, cachoeiras e corredeiras.

Essas são apenas algumas das restrições. Quem descumprir as regras paga multa, responde a processo e pode até ser preso. A piracema vai até o fim de fevereiro de 2019. “O pescador, tanto amador como profissional, deve ficar atento às distâncias de usina, cachoeiras e confluências. A multa começa com R$ 700, mas ela pode chegar a R$ 1,4 mil”, afirma o comandante Douglas. A população terá quatro maneiras para denunciar casos de irregularidades. Através do aplicativo de App “Denúncia Ambiente”, que pode ser baixado gratuitamente, pelo site www.denuncia.sigam.sp.gov.br, localize a unidade mais próxima da Polícia Ambiental ou em casos de emergência ligue 190. Conteúdo especial: Harley Pacola

 

Da REPORTAGEM