Os sentidos por meio do Jardim Sensorial

Tato, paladar, olfato, visão e audição, os cinco sentidos utilizados por nós humanos diariamente e que nem nos damos conta ou até mesmo paramos para pensar. Porém nem todos dispõem de 100% das funções destes sentidos e pensando nisso Jardins Sensoriais estão sendo instalados por Rio Preto, visando a inclusão social de pessoas com deficiências visual e auditiva, além de idosos e até mesmo quem queira procurar o lugar para relaxar.

Os Jardins Sensoriais buscam trazer uma nova vivência com a natureza, dando espaço aos sentidos com elementos pelo local que podem ser conhecidos por meio do tato, dos aromas, dos sons e até dos sabores. A iniciativa dos Jardins Sensoriais surgiu como uma contrapartida de implantação de trabalhos socioambientais junto à Caixa Econômica Federal, em relação às Obras Antienchentes. O trabalho, inclusive ganhou o prêmio ‘Melhores Práticas’ (na região de Rio Preto), promovido pela Caixa.

Dhoje Interior

De acordo com a assistente social da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo, Leila Nasser Lopes, o principal objetivo deste projeto é a inclusão social. “O objetivo do Jardim Sensorial ultrapassa o lado terapêutico e vai para a inclusão social, além de incluir também a educação socioambiental. Queremos que as nossas crianças cresçam tendo consciência sobre as pessoas com deficiência”, disse.

Até o momento foram instalados 13 Jardins Sensoriais pela cidade e outros dois, na Represa e no Viveiro Municipal, já estão sendo implantados e devem ficar prontos até o final do ano. Os jardins foram distribuídos entre escolas do ensino fundamental e instituições de caráter social, sendo o primeiro deles instalado no Instituto Riopretense dos Cegos Trabalhadores, que atende a pessoas com baixa visão e cegueira.
Em breve, a experiência dos jardins sensoriais estará disponível a todos. “Nós vamos inaugurar projetos desses na Represa e outro no Viveiro Municipal, abertos a toda população de Rio Preto. Nesses locais, vamos ter atividades monitoradas com um educador ambiental”, comentou Lopes.

Quem for até um Jardim Sensorial poderá conferir que as instalações contam com fontes, flores, frutas, hortaliças, pedras e objetos para aguçar os cinco sentidos dos visitantes, além de atividades para proporcionar as experiências sensoriais, por meio dos olhos vendados.

 

Por Priscila Carvalho