Ora, pois! Portugal é logo ali…

Morar em Portugal é algo que muitos brasileiros querem fazer. No entanto, antes de chegar no país é fundamental conhecer as normas para residir nele. Os fatores que envolvem a modalidade do visto são os principais itens que devem ser analisados antes de migrar.
A facilidade de obtenção do visto, a facilidade com o idioma e a qualidade de vida são os principais fatores que atraíram os brasileiros em Portugal. Assim, nos últimos anos, o país luso foi (re)descoberto e tem atraído milhares de pessoas para morar.
De acordo com o último relatório do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteias) em 2019, estima-se que cerca de 590.348 mil pessoas estrangeiras vivam em Portugal. Dentre elas, 151 mil são brasileiros residentes no país. Isso, sem contar com os brasileiros que possuem cidadania europeia ou estão ilegais.
Os brasileiros também têm grande destaque nos pedidos de cidadanias portuguesas. Em 2019 foram 74.116 pedidos, sendo a maioria deles (22.928) de brasileiros.
Segundo os dados preliminares do SEF, relativos ao ano de 2020, mesmo com a pandemia de Covid-19 foram emitidos mais de 117 mil novos títulos de residência em Portugal. Os dados finais ainda não foram divulgados, por isso, deste número de 2020 ainda não é possível saber quantos são brasileiros.
A Cláudia Alves é uma rio-pretense que se mudou para Portugal em fevereiro de 2020, um mês antes da pandemia e já chegou com o lockdown total. “Fechou tudo, tudo mesmo”, ressalta.
Em relação às documentações, Cláudia explica que não teve dificuldade para ficar legal no País. “Eu já tinha o NIF, que seria o RG brasileiro, de quando eu visitei Portugal há 18 anos. Quando cheguei aqui tirei o NIS, que é o CPF do Brasil, também abri atividade, que seria o MEi, e fiz a manifestação de interesse, mas ainda não fui aceita”.
A rio-pretense ainda frisa que para autorização definitiva é necessário em torno de seis anos. “Tem a primeira, a segunda e cinco anos após a terceira é que vem a oficial, para ter todos os direitos”.
Cláudia Alves rio-pretense_Arquivo PESSOAL

Cláudia estava com dois empregos, mas agora resolveu se manter em um só. “Aqui os aluguéis são muito caros comparados ao salário mínimo, principalmente por não termos fiados, eles (portugueses) exigem cauções muito altas. Consegui alugar o apartamento dos sonhos, por isso saí de um emprego e pretendo começar a trabalhar com comida a partir do mês que vem. Ser dona do meu próprio negócio. Não vim atrás de dinheiro, de ficar rica ou juntar dinheiro, vim pra Portugal para ter melhor qualidade de vida”.

Na opinião da rio-pretense, a pior parte de Portugal é falta de regras no sistema burocrático. “Eu abri uma conta sem ter que depositar nada, meu filho foi abrir e já pediram 100 euros. Depende de quem te atende e se eles vão com a sua cara”, relata Cláudia.
A cidade escolhida pela rio-pretense foi Lisboa, no centro. “Trabalho com atendimento em balcão atualmente e escolhi Lisboa porque minha filha já morava aqui e porque gostei. Porém, ainda vou morar de frente à praia, em Cais Cais. É a próxima mudança de endereço”, salienta.

“Nasci para viver aqui, me sinto mais Lisboeta do que rio-pretense”, brinca. “A única desvantagem são os salários baixos. Se não for o mais baixo, está entre eles”, conclui.  

Os brasileiros em Portugal são muitos e o perfil é bem heterogêneo. São muitos estudantes de graduação, mestrado e doutorado. São investidores no mercado imobiliário, trabalhadores qualificados e não-qualificados, empreendedores e aposentados. Muitos vieram sozinhos e muitos realizaram a mudança com toda a família.
As motivações para a mudança para Portugal são quase sempre as mesmas: os estudantes estão em busca de ter uma experiência fora ou aperfeiçoar o currículo. Além disso, muitos veem em Portugal uma maneira mais fácil de adquirir uma formação europeia e experiência profissional para depois mudar para outros países, ou voltar para o Brasil com um currículo com maior destaque, já que uma formação no exterior conta bastante aos olhos dos recrutadores.
A busca por qualidade de vida é o principal motivo de mudança para Portugal entre os outros perfis. Mas quando falamos em qualidade de vida, estamos englobando em um conjunto de fatores como o balanço entre trabalho e vida pessoal, transporte, educação, saúde, poder de compra e principalmente, segurança. Esse ponto todos os brasileiros em Portugal destacam.
A facilidade com o idioma é o principal motivo de tantos brasileiros escolherem morar em Portugal. Além disso, o custo de vida relativamente baixo se comparado a outros países europeus e a “aproximação” com a nossa cultura, também são pontos destacados dentre os brasileiros em Portugal.
Por Andressa ZAFALON