Onze empresas interditadas, mas nenhum cidadão multado no primeiro dia de lockdown

No primeiro dia de Lockdown, a Vigilância Sanitária interditou 11 empresas por descumprir o decreto municipal n° 18.861 em Rio Preto. A Guarda Civil Municipal (GCM) fiscalizou a circulação de pessoas, porém não aplicou multa. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (18) pela equipe de Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

A Vigilância Sanitária de Rio Preto informou que as interdições ocorreram em pontos distintos de Rio Preto e tratam-se de estabelecimentos que não estão na lista de serviços essenciais como: clínica médica (atendimento eletivo), papelaria, sorveteria, material de construção , dentre outros. As empresas flagradas pela Vigilância Sanitária deverão permanecer fechadas por 15 dias.

Dhoje Interior

A gerente da Vigilância Sanitária, Miriam Wowk Silva informou que recebeu mais de 80 denúncias com relação a estabelecimentos comerciais, somente no primeiro dia de lockdown, porém muitas denúncias não procediam. “Estamos com todo o efetivo nas ruas e estamos percorrendo toda a cidade. Estamos verificando todos os locais, independente de denúncia”, disse.

A Guarda Civil Municipal informou que ampliou nesta quinta-feira (18) a fiscalização relacionada à circulação de pessoas. Essa fiscalização ocorrerá por meio de patrulhamento permanente pelas ruas e avenidas da cidade e estacionamento de equipes em pontos estratégicos, com o objetivo orientar sobre o risco da circulação de pessoas, assim como impedir a realização de qualquer tipo de festa ou evento que gere aglomeração.

Com relação ao número de pessoas abordadas durante o primeiro dia de lockdown no município, a equipe do jornal enviou o questionamento e aguarda retorno da Assessoria de Comunicação da GCM.

Além disso, a GCM atuará no apoio à Vigilância Sanitária, que fiscaliza os estabelecimentos comerciais quanto ao cumprimento das restrições.

Sue PETEK – Jornal DHoje Interior