Olímpia terá multa de R$ 290 para pessoas flagradas em festas

Foto Aérea de Olímpia

Com o intuito de conter o avanço da pandemia no município, o prefeito de Olímpia, Fernando Cunha, publicou na tarde desta quinta-feira (4), um novo decreto com medidas mais restritivas na fase vermelha, além do endurecimento da fiscalização com o apoio da Polícia Militar, Guarda Municipal, Prodem, Vigilância Sanitária e o setor de fiscalização do município. As novas regras valem a partir da meia-noite desta sexta-feira (5).

Entre as novidades, o decreto traz penalidades para participantes, promotores de eventos e proprietários de imóveis alugados que promoverem festas, gerando aglomerações. Assim, os presentes flagrados serão multados em 10 UFESP (R$ 290,00) e os organizadores e proprietários em 100 UFESP (R$ 2.909,00). Além disso, as atuações por descumprimento serão encaminhadas para providências do Ministério Público.

Dhoje Interior

Ainda de acordo com a publicação, com exceção das atividades consideradas essenciais, os estabelecimentos comerciais nas vias públicas terão os atendimentos de segunda a sexta-feira, com apenas 8 horas de funcionamento, no período compreendido entre às 8h às 17h, vedando a entrada de clientes no interior, sendo recomendável realizar os serviços por meio de delivery. Aos sábados, domingos e feriados, o atendimento será realizado somente no formato delivery.

Às galerias comerciais, alimentação em restaurantes, lanchonetes e food trucks, será permitido o sistema de compra sem sair do carro (drive thru) até as 17h e, após esse horário, somente o serviço de entrega (delivery).

Com o novo decreto, fica suspenso também o atendimento presencial nas repartições públicas municipais, exceções feitas à área da Saúde e Educação, bem como a cobrança do estacionamento rotativo (Área Azul), enquanto o município estiver na fase 1 (vermelha) do Plano São Paulo.

As aulas presenciais na rede municipal voltaram no último dia 22 de fevereiro, em forma de rodízio, com a permissão de até 35% da capacidade, seguindo a resolução do Governo do Estado. O retorno não é obrigatório, podendo os pais optarem pela continuidade do ensino exclusivamente remoto. Segundo balanço da Educação, a adesão escolar tem correspondido, em média, a apenas 10% dos 35% permitidos.

Outros aspectos podem ser conferidos no site oficial da Prefeitura de Olímpia.

Da REPORTAGEM