Novo Ensino Médio vale a partir de 2022 para escolas públicas e privadas

A proposta do Novo Ensino Médio foi sancionada em 2017, durante o governo de Michel Temer, no entanto, o cronograma para implantação ainda não havia sido definido pelo MEC (Ministério da Educação).

Em julho deste ano o MEC divulgou a portaria no Diário Oficial da União (DOU) com o cronograma de implantação, começando em 2022 para as turmas do 1º ano do ensino médio; em 2023 a mudança chega para o 2º ano e em 2024 se completará com as turmas do 3º ano. Essas novas diretrizes são válidas para todas as escolas públicas e privadas do país.

Dhoje Interior

Entre as principais alterações estão a ampliação da carga horária e uma nova estrutura curricular. Atualmente a carga horária escolar é de 2,4 mil horas e, com a nova proposta, serão acrescentadas mais 600 horas, totalizando 3 mil horas anuais.

Já em relação à estrutura, haverá currículo básico que seguirá a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) como referência, seguindo as competências das quatro áreas do conhecimento (linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas), bem como haverá também as grades formativas oferecendo aos estudantes o aprofundamento nas áreas desejadas ou em formação técnica e profissional.

A formação geral, de conhecimento, terá carga de 1,8 mil horas; já a grade formativa será composta pelas 1,2 mil horas restantes, com o objetivo de desenvolver habilidades e conhecimentos de acordo com a escolha do projeto de vida de cada estudante. Essas disciplinas podem variar de acordo com cada escola e região.

Todas as escolas do país têm até o final deste semestre para iniciarem a transição para a implementação que é obrigatória. A mudança visa ampliar o interesse dos alunos no Ensino médio e reduzir a evasão escolar.

As escolas do SEB (Sistema de Educação Brasileiro) definiram três itinerários formativos para os alunos em 2022: criação de startups, que consiste em orientar os estudantes sobre como tirar ideias do papel, desenvolver habilidades empreendedoras e criativas e montar uma startup; criação o mundo, que ensinará aos alunos o funcionamento dos sistemas migratórios e aprofundará os estudos entre as diferenças culturais e as questões geopolíticas, além disso, explicará temas atuais como bitcoins e fake news; por último, saúde e inovação que será voltado para estudantes que pretendem seguir o ramo da tecnologia ou da saúde com abordagem da inovação na área da saúde, como a utilização da impressão 3D e cirurgias robóticas, por exemplo.

A partir de 2024, quando as três turmas do ensino médio já estarão contempladas com o novo formato de ensino, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) também deve ser reformulado para atender às novas diretrizes.

Da REDAÇÃO