‘NOS BASTIDORES DA POLÍTICA’ – Parlamento debate saneamento básico e recursos hídricos

Saneamento e água

Os integrantes do Parlamento Regional Metropolitano se reúnem hoje para debater medidas que sejam benéficas aos municípios que integram a Região Metropolitana de Rio Preto. Sob o comando do presidente do Parlamento, vereador Pedro Roberto Gomes (Patriota, foto), os parlamentares vão debater a falta de saneamento básico e também sobre recursos hídricos com o objetivo de propor soluções para o desabastecimento de água nas cidades. A parte técnica do debate ficará sob a responsabilidade do engenheiro Germano Hernandes Filho, vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica Turvo/Grande, e da engenheira do Semae Ceci Kuncevicius Bueno de Caprio. Por causa da covid-19, a reunião acontece no sistema híbrido, presencial e pela internet, a partir das 15h, na Câmara de Rio Preto.

Dhoje Interior

Libera 

O deputado federal Geninho Zuliani (DEM) anunciou a liberação de R$ 10 milhões para o Hospital Regional da Zona Norte, cujas obras serão concluídas em agosto. Os recursos serão destinados para adquirir equipamentos para o hospital. Geninho disse que R$ 5 milhões serão liberados pelo governo federal por meio de emenda destinada à saúde. “O restante será do governo do estado, que atendeu pedido pessoal meu”, frisou.

Falta metade 

Em visita recentemente ao Hospital da Zona Norte, o prefeito Edinho Araújo (MDB) disse que seriam necessários R$ 20 milhões com o intuito de adquirir equipamentos para centros cirúrgicos, realizar exames, leitos e ar condicionados. Como o deputado Geninho conseguiu a metade dos recursos, portanto, faltam R$ 10 milhões para equipar o hospital, que terá 80 leitos, com capacidade para realizar até 400 cirurgias por mês. 

Sem moleza

O procurador-geral do município, Luís Roberto Thiesi, diz que não vai ter moleza neste período de restrição, que começou ontem e se estende até 1º de julho, para combater grupos que não respeitam as regras impostas pelo poder público com o intuito de reduzir as infecções pela convid-19. Para tanto, o procurador alertou que os agentes da GCM e a Polícia Militar vão combater os irresponsáveis em suas bases sem distinção.

Sem noção

Enquanto uma minoria se posiciona contra o lockdown noturno decretado pelo prefeito Edinho Araújo (MDB), para outros a medida não será suficiente para frear o avanço da covid-19. Este grupo defende medidas mais severas para evitar a proliferação do vírus. A medida, entretanto, pode funcionar porque é a noite que os incautos saem para comemorar sabe se lá o quê e sob efeito etílico perde a noção e o vírus prospera. 

Porta aberta

O presidente nacional do MDB, Baleia Rossi, disse que a porta do partido está aberta para o deputado federal Rodrigo Maia, recentemente expulso do DEM por causa de desentendimento com ACM Neto, morubixaba que manda na sigla. Para o presidente do partido em Rio Preto, Pedro Nimer, o ex-presidente da Câmara Federal é um bom nome que irá somar. “Ele somaria muito, como tantas outras lideranças que temos no MDB”, diz.

Proteção

O governador cassado do Rio de Janeiro Wilson Witzel pediu proteção ao presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSB-AM), alegando que está sendo ameaçado por milicianos que atuam na área da saúde na capital carioca. É um sinal que Witzel está falando a verdade. O ex-governador Sérgio Cabral, que deixou todo mundo roubar, não teve inimigos quando estava no comando do estado. Agentes da PF devem proteger Witzel.

 

Visão alvissareira

Um grupo de dirigentes de partidos que defende uma candidatura de centro para disputar a Presidência da República, mexeu a primeira pedra no tabuleiro. O objetivo é definir um nome para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Lula da Silva (PT) nas eleições em 2022. A disputa, por enquanto, está polarizada entre os dois morubixabas. Para o presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire (foto), é preciso criar um projeto de nação, porém, argumentou que Bolsonaro e o Lula não estão preparados para compreender a nova visão do mundo. “Eles (Bolsonaro e Lula) remetem ao Brasil para o passado, para o atraso”, justificou. “Não é uma política para político tradicional, porque precisa colocar o Brasil no século 21”, acrescentou. O almoço organizado pelo ex-ministro da Saúde e postulante ao cargo de presidente Luiz Henrique Mandetta, em Brasília, contou com representantes do DEM, PSDB, Cidadania, PV e Podemos, além de outros partidos. “Foi o primeiro passo, mas sai com visão alvissareira”, concluiu Freire. 

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior