‘NOS BASTIDORES DA POLÍTICA’ – Indisciplina obriga restrição para frear terceira onda de covid

Maldita ignorância!

Com base na orientação das autoridades sanitárias, o prefeito Edinho Araújo (MDB, foto) anunciou novas medidas restritivas para frear a terceira onda de covid-19. Se houvesse uma sincronia entre os governos federal, estaduais e municipais, desde o começo da pandemia, esse efeito gangorra é muito provável que já estava superado. Era só ter aplicado os ensinamentos de Maquiável relatados em O Príncipe: coisas boas têm que ser liberadas aos poucos e as impopulares de uma vez só. No caso da pandemia, a coisa boa seria o lockdown para evitar a mortandade que está ocorrendo no Brasil. Boa parte da população tem colaborado, mas a indisciplina de outra parte põe tudo a perder. Diante do quadro tenebroso, tem que ir adotando medidas paliativas até que a vacina chegue para todos. O diabo é que uma minoria insiste em não ser imunizada e os maus exemplos, que vem de cima, não faltam. Maldita ignorância! 

Dhoje Interior

Afastar 

Ulisses Ramalho, segundo tesoureiro nacional do Patriota, informou que será promovida encontro do partido dia 24 de junho, em Brasília, para analisar o afastamento do presidente Adilson Barroso. Para viabilizar a filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), disse que Barroso tentou aplicar “golpe” ao desrespeitar a legislação vigente e o que determina o estatuto do partido. “Vamos pedir o afastamento”, diz. 

Suspende

Comissão da Câmara Federal aprovou proposta que suspende até 31 de dezembro deste ano, os prazos de validade de concursos públicos que tenham sido homologados até 20 de março de 2020, data do decreto que reconheceu o estado de calamidade pública devido à pandemia de covid-19. Os prazos de validade dos concursos voltarão a correr em 1° de janeiro de 2022, após o término da vedação para o aumento de despesas com pessoal.

Sossego 

O vereador Bruno Moura (PSDB) apresentou ontem proposta de emenda à Lei Orgânica do Município que proíbe ruído acima de 90 decibéis, com o objetivo de evitar a perturbação do sossego da população entre às 22h e 7h da manhã. A proposta também estabelece normas para o uso do apito do trem no perímetro urbano da cidade, que tem tirado o sono dos moradores principalmente próximos à linha férrea durante as madrugadas. 

Lidera

Mais uma vez tem que mencionar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que disse recentemente que brasileiro gosta de “novidade” nas eleições. A pedido do partido PLSo Instituto de Pesquisas Paraná fez sondagem para detectar a intenção do eleitorado ao governo do Estado, na semana passada, e o apresentador de televisão José Luiz Datena (sem partido) aparece à frente do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB).  

Dois cenários

 Conforme a pesquisa, Datena tem 19,1%, seguido pelo tucano Alckmin, 17,6%, Guilherme Boulos (PSOL), 12,3%, Márcio França (PSB), 11%, Fernando Haddad (PT), 8,5%, Paulo Skaf (MDB), 8,1%, Arthur do Val (Patriota), 5,2%, Vinicius Poit (Novo), 0,7%, e Rodrigo Garcia (PSDB), 0,4%. Cenário 2, sem Haddad e Rodrigo: Datena lidera com 20,2%, Alckmin, 19,6%, Boulos, 15,2%, França, 12%, Skaf, 8,5%, Arthur do Val, 5,3%, e Poit, 0,7%.

Fora do páreo

Para a alegria dos concorrentes, como já aconteceu em eleições passadas, Datena disse no seu programa que não será candidato. “Como homem público, pode incluir meu nome nas pesquisas, mas não sou candidato”, enfatizou o apresentador. O PSL também tenta emplacar a deputada estadual Janaina Paschoal como candidata ao governo paulista e nos dois cenários a parlamentar aparece com 4,3% a 5% das intenções de voto.

Sondagem para presidente

Para a disputa da Presidência da República, José Luiz Datena (foto) não tem o mesmo desempenho que o apresentado para o governo paulista. A pesquisa do Instituto Paraná mostra que o apresentador tem 9% das intenções de voto, Jair Bolsonaro (sem partido), 34%, Lula da Silva (PT), 29,3%, Ciro Gomes (PDT), 5,9%, João Doria, 5,2%, João Amoêdo (Novo), 4,1%, ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), 1,5%. No segundo turno, Datena aparece empatado com Bolsonaro, 38,2% contra 39,1%, respectivamente, e à frente do ex-presidente Lula por uma diferença mínima, 36,7% contra 36,3%. Até que não apareça um candidato para representar a terceira via, a disputa pelo cargo de presidente continua polarizada entre Bolsonaro e Lula da Silva. A pesquisa foi divulgada pela revista Veja.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior