NOS BASTIDORES DA POLÍTICA – FHC, Serra e Alckmin não prestigiam filiação do vice-governador

Cúpula rachada 

O vereador Renato Pupo (PSDB) não entrou em detalhe sobre a provável saída do partido do senador José Serra e do ex-governador Geraldo Alckmin. O motivo da discórdia no ninho tucano foi a filiação do vice-governador Rodrigo Garcia ao PSDB (foto), ontem, com o objetivo de disputar as eleições para governador, em 2022.  O governador João Doria deverá renunciar ao mandato em abril para concorrer à Presidência da República. Serra e Alckmin devem migrar para o PSD do ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. “Sei que ambos possuem boa relação com o presidente Kassab, que é um grande líder político”, frisou. Se a desfiliação deles for concretizada, o vereador disse que é uma grande perda para o PSDB. “Faz parte”, se limitou a dizer. FHC, Serra e Alckmin não compareceram ao evento da filiação de Rodrigo, sinal que a cúpula tucana está rachada.

Dhoje Interior

Novo tucano 

Em relação a filiação de Rodrigo Garcia ao PSDB, Renato Pupo disse que “acho ótima” para o partido. “É, sem dúvida, uma grande liderança, que poderá fazer muito por São Paulo, Rio Preto e região”, diz. Agora, na avaliação de analistas políticos, Garcia deu um passo falso ao sair do DEM, sigla que tinha o domínio no Estado de São Paulo. Se a estratégia de Doria virar água, o plano do novo tucano também naufraga. 

Balão 

A discórdia começou porque João Doria quis dar um ‘balão’ no senador Serra, ao propor para ele desistir de disputar a reeleição, a fim de abrir a vaga no PSDB para Alckmin concorrer ao Senado. A meta de Alckmin é o governo do Estado, já que lidera pesquisas de intenção de voto. A proposta irritou Serra, que acabou se alterando inclusive com o presidente estadual do partido, Marcos Vinholi, por causa de interferência.

Destino 

José Serra é ligado ao grupo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do ex-senador Aloysio Nunes. Alckmin era do grupo político do saudoso governador Mário Covas. Se ambos saírem do PSDB, será que FHC e Aloysio permanecem na sigla? No PSD, Alckmin terá legenda para disputar o governo do Estado e Serra à reeleição ao Senado. Como não compareceram ao evento da filiação de Rodrigo, o racha parece consumado.   

Desagrega

O presidente nacional do DEM, ACM Neto, não poupou críticas a João Doria por ter levado Rodrigo Garcia para o PSDB. O governador, diz ele, não está preparado para liderar. “É um desagregador”, alfinetou o ex-prefeito de Salvador. Diante do comportamento político do tucano, o baiano diz que o paulista não tem condição de liderar um projeto nacional, se referindo a intenção dele de disputar a Presidência da República.

Xis

O voto eletrônico nas eleições começou em 1996, portanto, há 25 anos. Proposta que tramita no Congresso tem o objetivo de reintroduzir voto impresso, de novo, no processo eleitoral. O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, disse que não foi registrado nenhuma fraude eleitoral neste período. Em relação ao impresso, votos em branco depositados nas urnas pelos eleitores recebiam xis durante as apurações.  

Arrolar 

João Paulo Rillo (PSOL) encaminhou requerimento ao presidente do Conselho de Ética, Paulo Pauléra (PP), que reivindica o direito de arrolar testemunhas para se defender da acusação de quebra de decoro. A denúncia partiu de vereadores que votaram contra o projeto que criava o Conselho Municipal de Gênero Sexual. Indignado, o psolista chamou os pares de “canalhas” e em função disso foi criada a comissão processante.

Muita emoção 

O vice-prefeito Orlando Bolçone (DEM, foto) anda muito feliz, principalmente com o reconhecimento pelo prefeito Edinho Araújo (MDB) de seu trabalho como secretário de Planejamento. Na assinatura de novos contratos de empresas que passam a incorporar o Parque Tecnológico (Partec), na última quinta-feira, Bolçone estava perfeitamente à vontade. Agora, são 39 empresas. O Partec tem um significado mais que simbólico para o vice-prefeito, afinal, carrega o nome de sua saudosa filha, Vanda Símei Bolçone. Foi muita emoção para um dia só!

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior