‘NOS BASTIDORES DA POLÍTICA’ – Edinho pede para região fazer lição de casa contra covid

Lição de casa 

Edinho Araújo (MDB, foto) cobrou dos prefeitos da região para que façam a lição de casa, adotando medidas restritivas necessárias, com o objetivo de frear o avanço da covid-19. O emedebista lembrou que a região está integrada e se não houver empenho de todos os prefeitos – a cidade que esteja adotando as medidas sanitárias adequadas para manter o índice de infecção dentro de uma estabilidade aceitável – acaba sendo prejudicada. Após um período de estabilidade, o índice de infecção deu uma disparada totalizando 426 novos casos nos últimos 5 dias na cidade. O número elevado de internações nas enfermarias e nas UTI é o que mais preocupa as autoridades da área da saúde: Rio Preto 541 e região 421, respectivamente, total de 962 internados. Apesar da fiscalização, festas clandestinas continuam sendo promovidas e já não há mais dúvida de que aglomeração é a principal fonte de propagação do vírus.  

Dhoje Interior

Teleatendimento 

A Secretaria da Saúde de Rio Preto afastou 41 profissionais grávidas por causa da covid-19, porém, elas estão trabalhando de suas casas no sistema remoto. As 22 médicas, que receberam treinamento, vão atuar no teleatendimento para atender pacientes com sintomas de covid-19, como se fosse uma consulta presencial. Os pacientes, com sintomas serão encaminhados para a UBS da Vila Mayor, com o objetivo de fazer o teste.

Primeiro 

Dr. Jairinho será o primeiro vereador da história da Câmara do Rio que será cassado. A decisão só será consumada porque o vereador matou o enteado Henry Borel, de quatro anos. Como é extremamente grave, não tem como os vereadores empurrarem a decisão para que ele perca o mandato por inércia. O regimento determina que ausência por mais de 120 dias das atividades parlamentares o mandato é interrompido automaticamente. 

Inércia 

O primeiro vereador que chegou perto de ser cassado no Rio foi Cristiano Girão, em 2009. Girão chefiava milícia, preso não pode exercer as atividades e perdeu o mandato por inércia. Os vereadores fizeram vista grossa e deixou que o regimento fosse cumprido. No caso Jairinho, diz a imprensa carioca, os vereadores não vão esperar que a ausência seja o motivo da perda do mandato. Só falta proteger assassino de criança! 

Fora de controle 

Catanduva e região enfrentam situação desesperadora por causa da covid-19. A ala destinada à doença no Hospital São Domingos está em situação de guerra e se não fizer lockdown, o sistema, já colapsado, irá se transformar em um caos. A ex-deputada Beth Sahão (PT), na rede social, critica a falta de firmeza das autoridades de Catanduva e região. “Onde foram parar os milhões que o Ministério da Saúde enviou”, pergunta. 

Punição 

O relator de um dos processos contra Daniel Silveira (PSL-RJ no Conselho de Ética, deputado Fernando Rodolfo (PL-PE), recomendou a suspensão por seis meses do exercício do mandato parlamentar e de todas as prerrogativas regimentais. O parecer, lido ontem, precisa ser aprovado pelo conselho, mas um pedido coletivo de vista adiou a votação por dois dias úteis. Silveira está sendo punido por ameaças aos ministros do STF.

Baixa renda

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, foi criticado ontem pelos deputados da Comissão de Educação por colocar como problema orçamentário a destinação de R$ 3,5 bilhões para garantir internet gratuita a estudantes de baixa renda e a professores da rede pública de ensino. Ao invés de definir como “dificuldade extra”, dizem os deputados, o governo deveria remanejar recursos de outros ministérios, priorizando a educação.

Tucano notificado

O presidente do Conselho de Ética, Paulo Pauléra (PP), informou que já encaminhou para o vereador Bruno Moura (PSDB, foto) notificação concedendo 15 dias de prazo para ele responder a denúncia apresentada pelo PSOL, por quebra de decoro, devido ameaças a João Paulo Rillo. Em relação a denúncia de Anderson Branco (PL) contra Renato Pupo (PSDB), Pauléra disse que o caso será analisado pelo conselho na próxima sexta-feira. João Paulo ainda não foi notificado sobre a punição leve que recebeu do conselho. Ele foi punido por chamar de “canalhas” o grupo de vereadores que votou contra projeto do Executivo que criava o Conselho Municipal de Gênero Sexual. Pauléra disse que a decisão da comissão de inquérito foi protocolada na presidência do conselho, que vai homologar para ser entregue ao psolista. Após receber o documento, João Paulo deverá se manifestar se vai recorrer para tentar cancelar a punição.   

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior