‘NOS BASTIDORES DA POLÍTICA’ – Convocação de concursados só após Planejamento Anual

Posse dos convocados

A convocação do grupo de aprovados no concurso para atuar na educação deverá ocorrer após o Planejamento Anual, que definirá as atribuições dos professores e de especialistas em exercício, previsto para ocorrer a partir desta semana, segundo informação da secretária Fabiana Zanquetta (foto). Com a expectativa das aulas, serão convocados 133 concursados entre professores, coordenadores pedagógicos, diretores e supervisores. No ano passado, o grupo foi chamado e entregou documentação à Prefeitura, porém, a convocação foi cancelada devido à pandemia que explodiu, obrigando o governo a interromper as aulas presenciais. A Secretaria de Administração alegou, à época, que se os convocados fossem empossados, o TCE poderia enquadrar o prefeito Edinho Araújo (MDB) por improbidade administrativa. 

Dhoje Interior

Pressão 

A pressão de um grupo de vereadores para que os profissionais sejam convocados, em plena pandemia, se arrasta desde o ano passado. Foram requerimentos apresentados pelos vereadores, convocação do então secretário de Administração Luís Roberto Thiesi (hoje procurador-geral do município), mas o governo não retroagiu. A pressão ainda continua, mas, pelo andar da carruagem, o desfeche está próximo.  

Superstição

Um pouco de superstição pode contribuir de forma significativa no momento de digitar o voto na urna eletrônica. Um leitor da coluna contou que, quando está frente à urna de votação, busca energia transcendental antes de digitar o número do candidato. A resposta, diz ele, vem na velocidade da luz. Quando é não, anula! Se for sim, voto liberado. Está aí uma dica aos eleitores que só decidem o voto no último momento.

Amargos

A celebração da Páscoa deste ano terá dois sabores amargos: reunião familiar com poucas pessoas – é o recomendável por causa da covid-19 – e em função do preço do ovo de chocolate, que está estratosférico. Um ovinho de 241 gramas, no suporte de um supermercado, está exposto pela ‘bagatela’ de R$ 79,9. O liberalismo é salutar para a economia, porém, exagerado força a redução do consumo e todos perdem.

Desmotivado

O eleitor com experiência para analisar o quadro político diz cansado de votar porque o avanço econômico e social nunca chega para a população. “Votar para que”, diz. Os jovens que nasceram, em 2006, poderão tirar seus títulos ano que vem para votar nas próximas eleições. Diante desse quadro tenebroso, classe política deteriorada, será que esses jovens vão chegar preparados para escolher seus representantes?

Partilha

O Código Civil poderá ser alterado para permitir que um dos cônjuges venda bens imóveis sem a autorização do outro sempre que o imóvel contar com cláusula que o impeça de se comunicar com o patrimônio do casal. A legislação em vigor só permite a venda sem autorização do cônjuge quando o regime de partilha adotado é o de separação absoluta de bens. A proposta de Bibo Nunes (PSL-RS) tramita na Câmara Federal.

Loteria da Saúde

O deputado Wagner Gomes (Pros-CE) quer criar a Loteria da Saúde, modalidade de concurso de prognósticos numéricos destinada a financiar o SUS. Os recursos poderão ser usados para ações de prevenção, contenção, combate e mitigação dos efeitos da pandemia do coronavírus. “A manutenção do SUS exige aporte de recursos, tornando a busca de novas fontes de receita sem que haja a necessidade de criar novos tributos”, diz.

Pena mais severa

O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP, foto) apresentou projeto que aumenta a pena aplicável a quem frustra ou frauda, mediante ajuste, combinação ou qualquer outro expediente, a competição em licitações públicas. Atualmente, nesses casos a Lei de Licitações prevê detenção, de 2 a 4 anos, e multa. A proposta determina reclusão de 4 a 10 anos e indica que a multa não poderá ser inferior ao valor do dano causado corrigido pela inflação. “O endurecimento das penas é a única maneira de punir realmente quem causa prejuízo à população”, diz. “Não podemos mais conviver com a prática de crimes que lesam a todos”, ressaltou.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior