No Parlamento Regional, prefeitos de Mirassol e Olímpia defendem pedágios

Pedro Roberto Gomes é o presidente do Parlamento Regional de Rio Preto. Foto: Câmara Municipal

O Parlamento Regional, composto por 37 presidentes de Câmaras de toda região de Rio Preto, se reuniu nesta sexta-feira, 29, em Mirassol. O objetivo do encontro foi debater, principalmente, o projeto do governo do Estado que prevê a instalação de sete novas praças de pedágio na região.

Outros temas, como mobilidade, saneamento, saúde, segurança pública também foram abordados, principalmente pelos prefeitos de Olímpia, Fernando Cunha (PL), e Edson Hermenegildo (PSDB), que participaram do encontro.

Dhoje Interior

Diferentemente da maioria dos parlamentares, que condenam a instalação de novos pedágios, os dois prefeitos se posicionaram a favor da proposta. Cunha disse que é impossível para o Estado garantir a manutenção e novos investimentos em infraestrutura, como a construção da terceira faixa entre Cedral e Mirassol.

“Acho um equívoco combater a privatização. Não há outro meio de termos recursos. Estamos em Mirassol, essa terceira faixa já tinha que ter. O Estado não vai fazer.  Temos que privatizar. Para ter a duplicação para Olímpia. E não tem jeito, vai ter de pagar via pedágio. Podemos discutir valor, localização do pedágio. Mas não dá para ser contra”, disse Cunha.

Mesma linha adotada pelo prefeito de Mirassol. “Nenhuma concessão de rodovia existe sem pedágio. Não podemos concordar exageros. Se for mesmo aumentar, que se faça uma média e abaixe o preço de outros. Grande parte das rodovias de nossa região já estão feitas, precisa de manutenção, com exceção da terceira faixa entre Rio Preto e Mirassol”, disse Hermenegildo.

Já o presidente da Câmara de São José do Rio Preto e do Parlamento Regional, vereador Pedro Roberto (Patriota), disse que o Estado precisa rever o projeto de instalação dos pedágios. “Vejo com muita preocupação. Vamos ouvir os presidentes da região, mas podemos tirar uma moção de preocupação. O parlamento pode se colocar contra, assim como chamar uma audiência pública, para ouvir mais pessoas, mais lideranças. Vamos fazer esse encaminhamento pelo parlamento”, disse Pedro, que cobrou estudos mais detalhados e com valores definidos. “Quem sabe abaixa o preço e de repente fica a mesma coisa?”

O vereador Renato Pupo (PSDB) ainda leu requerimento do vereador Jean Charles (MDB), que manifestou preocupação e pediu reavaliação do plano de concessão das rodovias da região, com a previsão de instalação de novos pedágios. Esse requerimento foi aprovado pela Câmara de Rio Preto.

Outros vereadores integrantes do Parlamento Regional também se posicionaram contra a instalação de pedágios, como o presidente da Câmara de Mirassol, Caco Navarrete (PSD), entre outros.

“Para Mirassol o que mais afetaria é o sentido São Paulo. Chegada de cargas, encarece o frete. Podemos pedir uma revisão. Importante iniciativa privada, mas tem bastante pedágio já. Vamos conversar melhor com o governo e ver se podemos chegar num consenso”, disse Caco.

Sônia Beolchi, presidente da Câmara de Ibirá, se disse preocupada. “Me preocupa muito. Sei da necessidade de ampliação, mas e o bolso do consumidor, de quem precisa, do trabalhador? Vai afetar. Estamos no meio de uma crise. As pessoas não têm dinheiro, não têm possibilidade, e mais praças de pedágio? O que vai trazer para a população? Com salários congelados e todos os aumentos que o governo federal deu e continua dando, como fica a população?”

Da Redação