Networking entre empresários da região gera R$ 14,3 milhões em negócios

Guilherme Constancio (direita) afirmou que conseguiu R$ 45 mil em novos clientes nos últimos 5 meses graças ao networking com outros empresários

O grupo BNI Noroeste Paulista registrou neste primeiro trimestre de 2021 R$ 14.331.530,00 em negócios gerados entre empresários da região de Rio Preto. Atualmente, o grupo, que reúne empresários de diversos ramos, conta com pouco mais de 260 membros. No ano passado foram R$ 26 milhões em negócios gerados.

Em dezembro de 2020, o BNI criou o primeiro grupo 100% online de empresários e neste ano eles firmaram R$ 5.996.748,00 em parcerias e negociações, o equivalente 41,8% dos investimentos gerados.

Dhoje Interior

“A gente esperava esse aumento em 2021, pois agora os membros estão mais adaptados a fazer negócios por vias digitais. Com esse modelo, o lockdown quase não causou impacto para nós. Costumo dizer que não devemos ter distanciamento social e sim distanciamento físico. Os contatos sociais precisam continuar acontecendo, agora de maneira online, para que todos possam se ajudar”, comentou o diretor executivo do BNI Noroeste Paulista, André Mantovani.

O fundador da escola de comunicação Aptitude em Rio Preto, Guilherme Constancio, é membro do BNI desde dezembro de 2019. De acordo com ele, de novembro de 2020 até hoje, foi possível arrecadar R$ 45 mil com novos clientes que vieram do grupo. Além disso, foram feitas também parcerias.

“Tem pessoas no meu grupo que não são meus clientes, mas a metodologia do BNI prega que todo mundo ajuda todo mundo. Então, os membros podem até não comprar de mim, mas vão me referenciar para os amigos deles. Para mim, compensa mais investir no BNI do que em meios digitais, por exemplo. Antes a Aptitude só atendia Rio Preto. Agora, tenho clientes em todos os estados do Brasil e até nos Estados Unidos. Tudo isso porque membros do meu grupo me indicaram”, afirmou Constancio.

No BNI, os empresários membros são divididos em grupos, que fecham negócios entre si e indicam os prestadores de serviços para conhecidos. Para evitar concorrência, só há um membro de cada ramo de atuação por grupo. Cada membro paga uma taxa anual de R$ 2.950, que pode ser parcelada. Segundo Mantovani, a construção civil é um dos que mais tem se destacado em investimentos.

“Temos empreendedores de áreas diversificadas, mas na construção temos observado empresários se unindo para lançar empreendimentos de alto valor. O mercado imobiliário está aquecido neste início de ano. Atualmente temos muitos prestadores de serviço também e queremos atrair mais empresários do comércio. A possibilidade de conseguir multiplicar os lucros é bem vantajosa”, comentou.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior