Mutirão identifica diabetes em 5% dos atendidos em Rio Preto

Rio Preto recebeu neste fim de semana pela primeira vez o Mutirão do Diabetes. Foram 278 pessoas atendidas, sendo que 14 delas (o equivalente a 5%) descobriram ser diabéticas. Outro dado revelado pela organização do Mutirão é de 50% estavam com o nível de glicemia inadequado.

“Eu participo da organização já faz 8 anos e o índice de 5% de pacientes diagnosticados com diabetes costuma ser uma constante. O que nos chamou muito a atenção foi que 60% dos pacientes estavam com pressão alta, um número muito alto. Se isso não for tratado adequadamente, pode acarretar outros fatores de risco como doenças cardiovasculares ou AVC”, comentou Marcelo Campos, um dos organizadores do Mutirão.

Dhoje Interior

Também foi revelado que 80% dos pacientes nunca tinham passado por um nutricionista e 95% nunca tinha realizado o exame do pé diabético, um dos mais importantes para avaliar a doença.

“A gente esperava uma adesão bem maior da população, mas ficamos gratos em poder ajudar 278 pessoas. Os que foram diagnosticados ou estão com alto risco de ter diabetes foram orientados a procurar as unidades de saúde. Pretendemos realizar novamente em Rio Preto no ano que vem”, comentou Marcelo.

O Mutirão acontece já há 17 anos, sendo o primeiro promovido pelo Dr. Rafael Ernandes, do Hospital Beira Rio, em Itabuna, e replicado em mais 43 cidades no Brasil. Hoje, o Mutirão de Itabuna atende mais de 10.000 pessoas por edição. Por sua relevância, o evento faz parte da Campanha Mundial do Diabetes, realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Federação Nacional de Associações e Entidades de Diabetes (Fenad).

Em Rio Preto, 27 mil pessoas são atendidas ou retiram medicamentos para controlar o diabetes, por mês, no sistema público, segundo a Secretaria de Saúde. O evento contou com a participação voluntária de 50 médicos e 120 estudantes de medicina da Faceres e da Unilago.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior