Motorista fica refém de bandidos durante roubo de carga

Um motorista de 33 anos é surpreendido por bandidos enquanto dormia no posto Colibri em Uberlândia, no estado de Minas Gerais. Após rodar muitos quilômetros refém dos bandidos é deixado dentro de seu caminhão em posto de combustível abandonado, próximo a Rio Preto. Os ladrões roubaram a carga do caminhão que continha 37 mil quilos de soja. O crime ocorreu às 1h30 na última quinta-feira (24).

Segundo boletim de ocorrência, o motorista estava estacionado com seu caminhão carregado com soja no Auto Posto Colibri e dormia na cabine. Informa que havia carregado o caminhão numa fazenda na cidade de Araguari.

Dhoje Interior

Ao chegar de viagem à noite, o motorista estacionou no posto para descansar e descarregar o caminhão pela manhã. Enquanto dormia ele foi surpreendido por um barulho de vidro quebrado e acordou sonolento. Ele foi rendido. Os bandidos estaam armados com pistolas.

Um dos ladrões assumiu a direção de veículo enquanto o outro passou a apontar a arma contra a vítima, que permanecia deitado na cama atrás dos bancos do caminhão. Em seguida, um dos bandidos pegou o celular do motorista e desligou e determinou que ele cobrisse a cabeça com lençol para que ele não pudesse ver o rosto dos ladrões.

A vítima informou que os bandidos rodaram bastante tempo com o caminhão e em certo momento entraram em estrada de terra e percorreram longo trajeto até que pararam o caminhão. O indivíduo que dirigia o caminhão desceu enquanto o outro permaneceu no caminhão vigiando a vítima, que foi obrigado a ficar com a cabeça coberta. Após passar algum tempo, a vítima não soube precisar quantos minutos, decidiu olhar e ao descobrir a cabeça percebeu que não havia ninguém próximo ao local. Constatou que estava em um posto abandonado às margens de uma rodovia, via de longe uma cidade e umas chácaras que ficavam na proximidade, que ao perguntar para moradores da chácara descobriu que estava em São José do Rio Preto. A vítima resolveu registrar a ocorrência de roubo de carga, 37 mil quilos de soja, mas não soube afirmar com clareza o rosto dos bandidos, apenas que um tinha rosto gordo e nenhum deles tinha sotaque.

Por Sue PETEK – Redação Jornal DHoje Interior.