Motorista é morto a tiros por vizinhos no João Paulo II

Um motorista de 62 anos foi morto a tiros, na noite desta segunda-feira (12), no bairro João Paulo II, em Rio Preto. Ele foi baleado por dois vizinhos, com os quais havia discutido no dia anterior em um bar.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, Moacir Neves da Silva estava em casa acompanhado da mulher, dona de casa, de 61 anos, quando chamaram ele para conversar. Ele e a mulher saíram da residência e após caminharem cerca de 15 metros, dois vizinhos do casal atiraram na direção deles.

Dhoje Interior

A vítima tentou voltar para casa com o auxílio da mulher, mas em frente a residência caiu no chão. Moacir morreu no local. A dona de casa contou à polícia que viu os dois homens armados, mas não soube precisar se os dois atiraram.

Ainda segundo a dona de casa, o marido e os dois homens estavam em um bar no dia anterior e discutiram, por motivos que ela acredita terem sido banais. Ela contou que os três tinham o hábito de se encontrarem no bar e ingerirem bebida alcoólica.

A Polícia Militar foi até a casa dos suspeitos, mas eles não foram localizados. Durante o procedimento da perícia, foi possível constatar que Moacir foi atingido por um único tiro, no lado direito do tórax. Próximo ao local, a perícia recolheu três cápsulas deflagradas, calibre 380.

Ameaça

Uma dona de casa, de 56 anos, irmã de um dos suspeitos de ser o autor do assassinato de Moacir, procurou a Polícia Civil para denunciar que foi ameaçada pelo filho dele. Ela disse que enquanto as viaturas do Samu e da Polícia Militar estavam no local, ouviu o filho da vítima dizer: “Alguém da família vai ter que pagar pela morte do meu pai”.

Ainda segundo a dona de casa, uma vizinha a aconselhou sair de casa porque viu dois homens na rua e que “eles seriam capazes de fazer algo ruim com a vítima, inclusive colocar fogo na casa”. Também afirmou que o motorista Moacir era usuário de drogas e “andava com alguns irmãos (membros do PCC)”, relatou no boletim de ocorrência.

A mulher contou ainda que no dia anterior, o motorista discutiu com o seu irmão sobre um “enquadro” (abordagem) que ele foi submetido pela PM. Moacir teria corrido atrás dos vizinhos com uma faca.

Por temer por sua vida, a dona de casa solicitou que uma viatura a acompanhasse para que ela retirasse alguns pertences e, assim, ir para algum lugar seguro mais seguro.

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior

E-mail: [email protected]