Mortes no trânsito caem 13% na região de Rio Preto

Em 2018, a região de São José do Rio Preto registrou 288 mortes em ruas e estradas, redução de 13% em comparação com o ano anterior, quando foram contabilizados 330 óbitos. A informação é do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que busca reduzir o número de fatalidades causadas por acidentes no território paulista.

O balanço revela ainda que os ocupantes de automóveis lideram as estatísticas na região. Foram 113 óbitos em 2018, queda de 12,4% (129 no ano anterior). Motociclistas estão na segunda posição com 96 ocorrências, redução de 5% na comparação com 2017 (101 casos).

Dhoje Interior

Em terceiro lugar, aparecem os pedestres, com 43 casos em 2018, redução de 15,7% (51 no ano anterior), seguidos pelos ciclistas, vítimas em 17 ocorrências (18 casos em 2017, queda de 5,6%).

De acordo com o Infosiga SP, também houve queda de 3,5% no número de acidentes de trânsito no Estado, no mesmo período. No ano passado, foram 5.459 contra 5.658, em 2017.

SEGURANÇA VIÁRIA

Rio Preto, Catanduva, Mirassol e Votuporanga assinaram convênios com o governo paulista para projetos de segurança viária. Os repasses para a região somam R$ 2,5 milhões, com recursos provenientes de multas aplicadas pelo Detran-SP.

Os convênios já assinados viabilizam mais de 340 intervenções nas cidades como melhorias na sinalização, instalação de lombadas e radares, além de ações de educação para o trânsito.

Jales, José Bonifácio, Novo Horizonte, Santa Fé do Sul e Tanabi também assinaram protocolos de intenção e preparam seus projetos para a concretização da parceria com o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

“Desde a criação do programa, em 2015, tivemos uma redução de quase 16% no número de fatalidades no Estado, o que equivale a 1.009 vidas salvas. Um avanço significativo, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Por isso o Governo de São Paulo, em parceria com os municípios, sociedade civil e iniciativa privada, continua a investir em segurança no trânsito. Seguimos promovendo ações de prevenção e fiscalização, colocando sempre a vida em primeiro lugar”, destaca a coordenadora do Movimento Paulista, Silvia Lisboa.

Na opinião do advogado especialista em trânsito, Alessandro Trigilio Barbosa, a notícia é boa, pois é do pouco que se começa, mas há muito ainda que se fazer.

“Se levarmos em consideração que o principal objetivo do programa é reduzir os óbitos no trânsito, pela metade, no Estado até 2020, ainda está longe do ideal. Mas cada morte evitada é, sem dúvida, um motivo para comemoração”, avalia.

Para ele, a educação, principalmente das novas gerações, é fundamental quando se fala em prevenção de acidentes de trânsito.

“A única forma de reduzir com objetividade e efetividade os acidentes no trânsito é através da educação. A fiscalização não pode ser feita em todos os lugares, 24 horas por dia. A educação bem feita, inovada e implementada desde a tenra idade, principalmente com o adolescente que está prestes a entrar na autoescola, vai acarretar motoristas, pedestres e ciclistas conscientes, educados e respeitadores das leis de trânsito”, finaliza.

Por Daniele Jammal