Sexta-feira 13 divide opiniões sobre sorte ou azar

Azar ou coincidência? A lenda da Sexta-feira 13 para alguns é sinônimo de mau agouro, mas há quem se simpatize com a data e ainda saia para festejar e celebrar com programação de terror

A lenda de que a sexta-feira 13 traz azar começou há milênios. Na mitologia nórdica, a Deusa Frigga, foi associada a coisas ruins desde que o cristianismo passou-as de deusas para bruxas, com a lenda de que ela se juntava com o próprio demônio e mais 11 bruxas.

Dhoje Interior

No Império Romano, acreditava-se que o número 12 era perfeito e que, portanto, o 13 era a destruição dessa harmonia. Além do mais, a soma de Jesus Cristo sentado à mesa com seus 12 apóstolos reforça a tese do número 13 bem como o fato do líder cristão ter sido crucificado numa sexta-feira deixando o contexto mais nefasto e anexo a acontecimentos negativos.

Juliana Gonçalves, maquiadora, terapeuta holística e protetora dos animais. Como grande amante de gatos, lamenta o preconceito que as pessoas têm com os gatos pretos
Giovana Santille, empresária, nascida numa sexta-feira 13 gosta da data e desde pequena comemora com as amigas numa sessão de filme de terror

A empresária Giovana Santille Lima nasceu numa sexta-feira 13 e adora a data. Fez até uma tatuagem. “Quando eu era pequena, era o dia do filme de terror. É um assunto muito interessante que todos que conheço assim como eu, gostam de usar como uma coisa boa pra fazer, seja uma festa, um filme ou sair para beber. Toda vez que falo que nasci nessa data as pessoas ficam surpresas com aquele ar de azar, ou acham legal. Meu azar anda comigo mesmo, mas nesse caso, levo isso como sorte”, destaca.

Giovana Santille, nasceu numa sexta-feira 13 e, sua associação à data é absolutamente de sorte!

Juliana Gonçalves, maquiadora, terapeuta holística e protetora animal, diz que já teve superstições, mas que hoje não leva nada disso a sério. “Acredito que algo só influencia na minha vida a partir do momento em que coloco minha energia naquilo”, diz.

Juliana Gonçalves, maquiadora e protetora ama gatos pretos, assim como os de qualquer cor; mas ressalta que a dificuldade em conseguir donos para os pretos é sempre grande em razão do preconceito

Entretanto, com muita frequência se depara com o preconceito com os gatos pretos. “Sempre adoto os pretinhos, pois, as crenças limitantes que os gatos pretos são símbolos de azar ainda perduram em nossos dias, o que considero muito triste e sem sentido”, pondera.