McDia Feliz é neste sábado e ação destina recursos ao HCM e HB

Neste sábado (23) será realizada a 33ª edição da campanha McDia Feliz, uma das principais ações do país em arrecadação de fundos para causas infanto-juvenis. Toda a renda gerada com as vendas de sanduíches Big Mac nos restaurantes McDonald’s de Rio Preto, Catanduva, Fernandópolis e Votuporanga, será destinada para o Hospital de Base (HB) e para o Hospital da Criança e Maternidade (HCM).

“Esta ação é extremamente importante, pois a contribuição do Instituto viabilizará a aquisição de um aparelho de ultrassonografia portátil, que possibilitará diagnósticos mais rápidos, permitindo tratamento adequado, sem a necessidade de deslocamento das crianças para o setor de diagnóstico, para a realização de exames. Outro benefício, através deste novo aparelho, será possível a passagem de cateteres intravenosos com maior segurança, com punções guiadas e menos complicações”, explicou o diretor administrativo HCM, Antônio Soares Souza.

Dhoje Interior

“No ano passado o resultado da ação foi muito satisfatório. Nossa expectativa é contar mais uma vez com a solidariedade em prol destas duas causas tão importantes, que são a saúde e a educação. Destacamos que iniciativas de arrecadação de fundos são importantes, não meramente pela arrecadação, mas sim para quais fins estes valores são destinados”, afirmou Jorge Fares, diretor executivo da Funfarme.

O McDia Feliz é o principal evento beneficente do McDonald’s e, atualmente, é uma das maiores mobilizações em prol de crianças e adolescentes no Brasil. A campanha é realizada no país desde 1988, gerando recursos para as instituições apoiadas pelo Instituto Ronald McDonald, que atuam para proporcionar mais saúde e qualidade de vida a crianças e adolescentes com câncer.

“O câncer infantojuvenil é a doença que mais mata crianças de 1 a 19 anos, com o surgimento de um novo caso cada hora Brasil (dados do Inca). Somado ao atual cenário da pandemia, esse dado se torna ainda mais alarmante, visto que os pequenos pacientes em tratamento oncológicos estão no grupo de risco da Covid-19, e não podem interromper o tratamento. Por isso, mais do que nunca, precisamos da união de solidariedade de todos para que possamos mudar a realidade dessas famílias”, destacou Bianca Provedel, Diretora Executiva do Instituto Ronald McDonald.

Da REPORTAGEM