MAIS FÉRTIL – CHANCE DE ENGRAVIDAR DE ACORDO COM A IDADE DO CASAL

Apesar da demora para engravidar, assumir que um casal tem problemas de infertilidade pode ser uma ação precipitada. Por isso, a recomendação é que, após mais de 12 meses de tentativas, com vida sexual ativa e sem fazer uso de qualquer método anticonceptivo, e nenhum resultado positivo o casal procure um profissional de fertilidade.

Mas, como saber se é normal um casal da faixa etária que você e parceiro se encontram pode ter problemas para ter filhos ou isso é apenas um sinal da idade? Esse artigo tem algumas informações que podem ajudar a esclarecer o seu caso e ajudar a entender melhor as suas chances de engravidar.

Dhoje Interior

Um casal considerado saudável, que não apresenta nenhum problema de fertilidade, tem uma chance de, aproximadamente, 17% de chance de engravidar, por cada ciclo fértil feminino. Quando a mulher possui até 35 anos de idade, as chances de gravidez após 3 meses de tentativa são, em média, de 57%. Quando esse tempo de tentativa passa para 6 meses de tentativa, essa chance de engravidar aumenta para 72%. Após 1 ano de tentativas, as chances de sucesso chegam a 85%.

Por esse motivo, quando o casal é saudável, e passam mais de um ano em tentativas sem sucesso, os médicos especialistas passam a indicar exames mais detalhados para investigar o que é responsável pela infertilidade.

Entretanto, quando a mulher tem mais de 35 anos, o período de tentativas é menor, de 6 meses, já que a saúde fértil da mulher tende a diminuir. Assim, sua chance de engravidar em cada faixa etária também costumam ser diferentes.

Confira a variação das probabilidades de gravidez de acordo com a faixa etária da mulher: até os 20 anos, essa chance é de 25% por mês; já para mulheres entre 21 e 30 anos passa para 20%; na faixa de 31 a 35 anos, a porcentagem é de 15%; para mulheres entre 36 e 39 anos, cai para 10%; entre 40 e 44 anos, 5%; e entre mulheres com 45 anos ou mais, as chances não chegam a 3%.

Por Luiz Fernando Gonçalves Borges – médico ginecologista e obstetra, pós-graduado em Reprodução Humana